sexta-feira, 27 de abril de 2012

O DOCE SABOR DE UMA MULHER DESLUMBRANTE

Uma mulher deslumbrante não é aquela que mais homens tem a seus pés. Mas sim aquela que tem apenas um que a faça realmente feliz. Uma mulher formosa não é a mais jovem. Nem a mais frágil, nem aquela que tem a pele mais sedosa ou o cabelo mais chamativo. É aquela que com apenas um sorriso franco e aberto e um bom conselho pode alegrar-te a vida. Uma mulher de valor não é aquela que tem mais títulos ou cargos acadêmicos. E sim aquela que sacrifica seus sonhos temporariamente para fazer felizes os demais. Uma mulher deslumbrante não é aquela mais ardente e sim a que vibra ao fazer amor somente com o homem que ama. Uma mulher deslumbrante não é aquela que se sente adulada e admirada por sua beleza e elegância, E sim aquela mulher firme de caráter. Que pode dizer "Não". E um Homem... Um homem deslumbrante é aquele que valoriza uma mulher assim... Que se sente orgulhoso de tê-la como companheira... Que sabe acariciá-la como um músico virtuoso toca seu amado instrumento... Que luta a seu lado compartilhando todas as suas tarefas, desde lavar pratos e preparar a mesa, até devolver as massagens e o carinho que ela te proporcionou antes. A verdade, companheiros homens é que as mulheres com mania de serem "mandonas" não levam vantagens... Que tolos temos sido e somos quando valorizamos um presente somente pela vistosidade do pacote... Tolo e mil vezes tolo o homem que come sobras na rua, tendo um deslumbrante manjar em casa! Esse texto é para as mulheres deslumbrantes para reforçar sua auto-estima e para os homens para que meditem sobre isto.

Gesto inusitado

O dia estava nublado. Várias pessoas aguardavam o ônibus na estação tubo, resguardando-se do vento frio, que soprava forte. Os olhares de todos se revezavam entre o relógio de pulso e a rua à esquerda, de onde deveria vir a condução. De repente, a porta central se abriu e os olhares ali se concentraram, não entendendo o porquê, desde que nenhum ônibus estava à vista. Então, viram que o cobrador saiu de seu posto, saltou para a rua e se dirigiu alguns metros adiante, à direita. Um rapaz aguardava na calçada. O cobrador lhe ofereceu o braço e juntos atravessaram a rua. O rapaz era cego. Os passageiros que aguardavam o ônibus se entreolharam, admirados. O gesto fora inusitado, considerando-se ainda que ninguém se apercebera da dificuldade do deficiente visual. Contudo, o cobrador estava atento e, deixando seu posto, foi prestar solidariedade ao seu irmão, deixando-o, tranquilo, do outro lado da rua. Houve cumprimentos de alguns para ele. Houve quem fosse além e lhe desejasse bênçãos celestes. Ele corou e disse: Nada fiz demais. Eu vi que ele estava inseguro para atravessar e resolvi ajudar.

Abraço de filho

Abraço de filho deveria ser receitado por médico. Há um poder de cura no abraço que ainda desconhecemos. Abraço cura ódio. Abraço cura ressentimento. Cura cansaço. Cura tristeza. Quando abraçamos soltamos amarras. Perdemos por instantes as coisas que nos têm feito perder a calma, a paz, a alma... Quando abraçamos baixamos defesas e permitimos que o outro se aproxime do nosso coração. Os braços se abrem e os corações se aconchegam de uma forma única. E nada como o abraço de um filho... Abraço de Eu amo você. Abraço de Que bom que você está aqui. Abraço de Ajude-me. Abraço de urso. Abraço de Até breve. Abraço de Que saudade! Quando abraçamos, a felicidade nos visita por alguns segundos e não temos vontade de soltar. Quando abraçamos somos mais do que dois, somos família, somos planos, somos sonhos possíveis. E abraço de filho deveria, sim, ser receitado por médico pois rejuvenesce a alma e o corpo. Estudos já mostram, com clareza, os benefícios das expressões de carinho para o sistema imunológico, para o tratamento da depressão e outros problemas de saúde. O abraço deixou de ser apenas uma mera expressão de cordialidade ou convenção para se tornar veículo de paz e símbolo de uma nova era de aproximação. Se a alta tecnologia - mal aproveitada - nos afastou, é o abraço que irá nos unir novamente. Precisamos nos abraçar mais. Abraços de família, abraços coletivos, abraços engraçados, abraços grátis. Caem as carrancas, ficam os sorrisos. Somem os desânimos, fica a vontade de viver. O abraço apertado nos tira do chão por instantes. Saímos do chão das preocupações, do chão da descrença, do chão do pessimismo. É possível amar de novo, semear de novo. É possível renascer. E os abraços nos fazem nascer de novo. Fechamos os olhos e quando voltamos a abri-los podemos ser outros, vivendo outra vida, escolhendo outros caminhos. Nada melhor do que um abraço para começar o dia. Nada melhor do que um abraço de Boa noite. E, sim, abraço de filho deveria ser receitado por médico, várias vezes ao dia, em doses homeopáticas. Mas, se não resistirmos a tal orientação, nada nos impede de algumas doses únicas entre essas primeiras, em situações emergenciais. Um abraço demorado, regado pelas chuvas dos olhos, de desabafo, de tristeza ou de alívio. Um abraço sem hora de terminar, sem medo, sem constrangimento. Medicamento valioso, de efeitos colaterais admiráveis para a alma em crescimento.

O passarinho e o velho carvalho

Certa vez um canarinho pousou num velho carvalho e, lá do alto, perguntou para a árvore: - Porque você é assim, tão retorcido? - Você me acha feio? perguntou o carvalho. - Bem, não posso negar que já pousei em árvores mais bonitas… O que foi que houve com você? - Sou assim todo retorcido por causa das inúmeras tempestades e catástrofes que já enfrentei na vida. Cada uma delas deixou uma marca em mim. - Pobrezinho, lastimou o passarinho. - Não, passarinho, não fique com pena de mim. Foi bom eu ter passado as provações que passei, pois minhas raízes se aprofundaram e meu caule se fortaleceu. Hoje não é qualquer tempestade que me perturba. De repente, um tempestade violenta se formou e bateu com ímpeto naquela região. Árvores foram arrancadas, galhos se despedaçaram, mas o velho carvalho agüentou tudo com a solidez do ferro. Depois da tempestade, o passarinho, que havia se protegido no carvalho, agradeceu: - Obrigado meu amigo, pela acolhida e pela proteção. Realmente, suas raízes são profundas e o seu caule é firme. Sorte minha e de muitos outros pequeninos como eu, que não teriam condições de vencer sozinhos uma tempestade como essa! Ninguém há que nada possua para dar. Ninguém existe que não possa fazer algo a benefício do seu irmão. Há tanto que se fazer na Terra. Existem tantos aguardando a cota do nosso gesto de ternura. Ninguém inútil ou desprezível. Cabe-nos redescobrir a riqueza que em nós existe e distribuí-la a quem dela necessite ou espere. Se nos sentirmos solitários, em meio às dificuldades que nos alcancem, aprendamos a estender sorrisos nos caminhos por onde passarmos. Antes de nos amargurarmos e cobrar gestos de carinho de amigos e parentes, antecipemo-nos e doemos a nossa cota de amor, ainda hoje, permitindo-nos usufruir da alegria de dar e dar-se.

O SENHOR PALHA

Era uma vez, há muitos e muitos anos, é claro, porque as melhores histórias passam-se sempre há muitos e muitos anos, um homem chamado Senhor Palha. Ele não tinha casa, nem mulher, nem filhos. Para dizer a verdade, só tinha a roupa do corpo. Ora o Senhor Palha não tinha sorte. Era tão pobre que mal tinha para comer e era magrinho como um fiapo de palha. Era por esse motivo que as pessoas lhe chamavam Senhor Palha. Todos os dias o Senhor Palha ia ao templo pedir à Deusa da Fortuna que melhorasse a sua sorte, mas nada acontecia. Até que um dia, ele ouviu uma voz sussurrar: — A primeira coisa em que tocares quando saíres do templo há- de trazer-te uma grande fortuna. O Senhor Palha apanhou um susto. Esfregou os olhos, olhou em volta, mas viu que estava bem acordado e que o templo estava vazio. Mesmo assim, saiu a pensar: “Terei sonhado ou foi a Deusa da Fortuna que falou comigo?” Na dúvida, correu para fora do templo, ao encontro da sorte. Mas, na pressa, o pobre Senhor Palha tropeçou nos degraus e foi rolando aos trambolhões até o final da escada, onde caiu por terra. Ao levantar-se, ajeitou as roupas e percebeu que tinha alguma coisa na mão. Era um fio de palha. “Bom”, pensou ele, “uma palha não vale nada, mas, se a Deusa da Fortuna quis que eu o apanhasse, é melhor guardá-lo.” E lá foi ele, com a palha na mão. Pouco depois, apareceu uma libélula zumbindo em volta da cabeça dele. Tentou afastá-la, mas não adiantou. A libélula zumbia loucamente ao redor da cabeça dele. “Muito bem”, pensou ele. “Se não queres ir embora, fica comigo.” Apanhou a libélula e amarrou-lhe o fio de palha à cauda. Ficou a parecer um pequeno papagaio (de papel), e ele continuou a descer a rua com a libélula presa à palha. Encontrou a seguir uma florista, que ia a caminho do mercado com o filho pequenino, para vender as suas flores. Vinham de muito longe. O menino estava cansado, coberto de suor, e a poeira fazia-o chorar. Mas quando viu a libélula a zumbir amarrada ao fio de palha, o seu pequeno rosto animou-se. — Mãe, dás-me uma libélula? — pediu. — Por favor! “Bem”, pensou o Senhor Palha, “a Deusa da Fortuna disse-me que a palha traria sorte. Mas este garotinho está tão cansado, tão suado, que ficará certamente mais feliz com um pequeno presente.” E deu ao menino a libélula presa à palha. — É muita bondade sua — disse a florista. — Não tenho nada para lhe dar em troca além de uma rosa. Aceita? O Senhor Palha agradeceu e continuou o seu caminho, levando a rosa. Andou mais um pouco e viu um jovem sentado num tronco de árvore, segurando a cabeça entre as mãos. Parecia tão infeliz que o Senhor Palha lhe perguntou o que tinha acontecido. — Hoje à noite, vou pedir a minha namorada em casamento — queixou-se o rapaz. — Mas sou tão pobre que não tenho nada para lhe oferecer. — Bem, eu também sou pobre — disse o Senhor Palha. — Não tenho nada de valor mas, se quiser dar-lhe esta rosa ela é sua. O rosto do rapaz abriu-se num sorriso ao ver a esplêndida rosa. — Fique com estas três laranjas, por favor — disse o jovem. — É só o que posso dar-lhe em troca. O Senhor Palha continuou a andar, levando três suculentas laranjas. Em seguida, encontrou um vendedor ambulante a puxar uma pequena carroça. — Pode ajudar-me? — disse o vendedor ambulante, exausto. — Tenho puxado esta carroça durante todo o dia e estou com tanta sede que acho que vou desmaiar. Preciso de um gole de água. — Acho que não há nenhum poço por aqui — disse o Senhor Palha. — Mas, se quiser, pode chupar estas três laranjas. O vendedor ambulante ficou tão grato que pegou num rolo da mais fina seda que havia na carroça e deu-o ao Senhor Palha, dizendo: — O senhor é muito bondoso. Por favor, aceite esta seda em troca. E, uma vez mais, o Senhor Palha continuou o seu caminho, com o rolo de seda debaixo do braço. Não tinha dado dez passos quando viu passar uma princesa numa carruagem. Tinha um olhar preocupado, mas a sua expressão alegrou-se ao ver o Senhor Palha. — Onde arranjou essa seda? — gritou ela. — É justamente aquilo de que estou à procura. Hoje é o aniversário de meu pai e quero dar-lhe um quimono real. — Bem, já que é aniversário dele, tenho prazer em oferecer-lhe a seda — disse o Senhor Palha. A princesa mal podia acreditar em tamanha sorte. — O senhor é muito generoso — disse sorrindo. — Por favor, aceite esta jóia em troca. A carruagem afastou-se, deixando o Senhor Palha com uma jóia de inestimável valor refulgindo à luz do sol. “Muito bem”, pensou ele, “comecei com um fio de palha que não valia nada e agora tenho uma jóia. Sinto-me contente.” Levou a jóia ao mercado, vendeu-a e, com o dinheiro, comprou uma plantação de arroz. Trabalhou muito, arou, semeou, colheu, e a cada ano a plantação produzia mais arroz. Em pouco tempo, o Senhor Palha ficou rico. Mas a riqueza não o modificou. Oferecia sempre arroz aos que tinham fome e ajudava todos os que o procuravam. Diziam que a sua sorte tinha começado com um fio de palha, mas quem sabe se não terá sido com a sua generosidade?

Amor que não acaba

Até que ponto vai a capacidade de amar do ser humano? Quanto tempo dura o amor? Um poeta da música disse, certa vez, que o amor é eterno enquanto dure. E todos os desiludidos, os traídos e abandonados têm impressões muito próprias a respeito do amor, onde a tônica principal é de que amor eterno não existe. Contradizendo tudo isso, alguns fatos, que a mídia televisiva ou impressa nos traz, afirmam que o amor verdadeiro é uma sinfonia inigualável. Foi com esse sentimento que Chris Medina, um rapaz de vinte e sete anos, se apresentou em um programa de talentos, cantando uma música de sua autoria. Os versos diziam mais ou menos assim: Onde quer que você esteja, estou perto. Em qualquer lugar que você vá, eu estarei lá. Toda vez que sussurrar meu nome, você verá como mantenho cada promessa. Que tipo de cara eu seria se fosse embora, quando você mais precisasse de mim? O que são palavras se você realmente não acredita nelas quando as diz? Se são apenas para os bons momentos, então elas nada são. Quando há amor, se diz em voz alta e as palavras não vão embora. Elas vivem mesmo quando partimos. Eu sei que um anjo foi enviado apenas para mim. Sei que devo estar onde estou. E vou permanecer ao seu lado esta noite. Nunca partiria quando você mais precisa de mim. Vou manter meu anjo perto para sempre. Ele não conseguiu vencer todas as etapas do concurso, sendo eliminado, em determinada fase, mas sua história levou às lágrimas os jurados e o público presente. Porque a sua composição retrata exatamente o seu drama e sua decisão pessoal. É uma verdadeira declaração de amor. Ele estava noivo e há dois anos pediu em casamento Juliana Ramos. A jovem bela, entusiasta. Formavam um casal primoroso. Dois meses antes do casamento, no dia dois de outubro de 2009, o carro de Juliana foi atingido por um caminhão. Ela quase não sobreviveu. Uma grave fratura no crânio desfigurou seu rosto e a transformou em uma mulher com muitas limitações físicas. Foi-se a beleza, a agilidade, o sorriso fácil, as caminhadas, a dança, a alegria de todas as horas. Ele permaneceu ao lado dela. Leva-a consigo para onde vá. E faz shows para arrecadar fundos para o tratamento de que ela necessita. E isso ele externaliza cantando e agindo.

Não nos permitamos

Refletindo sobre nossos companheiros de jornada, é provável que, em alguns momentos da vida, nos deparemos com uma angustiante questão. Olhamos para nossos pais, cônjuge, filhos ou amigos e nos perguntamos: Quando foi a última vez que recebi ou que lhes ofertei um abraço? O toque, seja através do afago, do beijo ou do abraço expressa nossos sentimentos, enche a vida de ternura e aquece a alma de quem o oferece e de quem o recebe. As manifestações sinceras de afeto fazem as pessoas se sentirem amadas e queridas pois demonstram o amor que as envolve. Ter a liberdade de falar sobre os sentimentos e expressá-los, com equilíbrio e sensatez, também mantém apertados os laços que nos unem às pessoas com as quais nos relacionamos. Ao constatarmos a distância estabelecida sutilmente entre os afetos, uma grande tristeza nos invade. É o momento em que nos questionamos: Quando e como começou a ser estabelecida essa distância? Como pudemos permitir que chegasse a esse ponto? Quem foram os responsáveis? E agora? Como fazer para construir novamente essa ponte de ligação com as pessoas amadas? Olhamos para trás buscando as respostas, na tentativa de começar a construir um caminho diferente, uma nova aproximação. Muitas vezes, essas respostas não serão facilmente encontradas pois, por mais que busquemos nos arquivos de nossa memória, será difícil identificar o registro de quando foi que tudo começou. Essa análise do passado é importante, pois descobrindo onde erramos, podemos, a partir dessa constatação, agir de outra forma. Verificamos então, que talvez tenhamos nos permitido adotar algumas atitudes que podem ter nos distanciado lenta e gradativamente dos seres amados. Foi o Bom dia deixado de lado pela pressa de começar logo as atividades de mais uma jornada de trabalho; o Boa noite esquecido, vencido pelo cansaço. Os sentimentos ocultados pela quietude diária, onde cada um se envolve apenas com suas próprias questões pessoais. A falta de compreensão e de companheirismo, o egoísmo, as mentiras sutis, as mágoas acumuladas e os pequenos desentendimentos. Essas atitudes são como gotas pequeninas que, com o tempo, se transformam em imensos oceanos. E quando nos damos conta, não mais sabemos atravessar esse espaço e tocar alguém que tanto estimamos.

PACIÊNCIA

Ah! Se vendessem paciência nas farmácias e supermercados muita gente iria gastar boa parte do salário nessa mercadoria tão rara hoje em dia. Por muito pouco a madame que parece uma "lady" solta palavrões e berros que lembram as antigas "trabalhadoras do cais"... E o bem comportado executivo? O"cavalheiro" se transforma numa "besta selvagem" no trânsito que ele mesmo ajuda a tumultuar... Os filhos atrapalham, os idosos incomodam, a voz da vizinha é um tormento, o jeito do chefe é demais para sua cabeça, a esposa virou uma chata, o marido uma "mala sem alça". Aquela velha amiga uma "alça sem mala", o emprego uma tortura, a escola uma chatice. O cinema se arrasta, o teatro nem pensar, até o passeio virou novela. Outro dia, vi um jovem reclamando que o banco dele pela internet estava demorando a dar o saldo, eu me lembrei da fila dos bancos e balancei a cabeça, inconformado. vii uma moça abrindo um e-mail com um texto maravilhoso e ela deletou sem sequer ler o título, dizendo que era longo demais. Pobres de nós, meninos e meninas sem paciência, sem tempo para a vida, sem tempo para Deus. A paciência está em falta no mercado, e pelo jeito, a paciência sintética dos calmantes está cada vez mais em alta. Pergunte para alguém, que você saiba que é "ansioso demais" onde ele quer chegar? Qual é a finalidade de sua vida? Surpreenda- se com a falta de metas, com o vago de sua resposta. E você? Onde você quer chegar? Está correndo tanto para quê? Por quem? Seu coração vai agüentar? Se você morrer hoje de infarto agudo do miocárdio o mundo vai parar? A empresa que você trabalha vai acabar? As pessoas que você ama vão parar? Será que você conseguiu ler até aqui? Respire... Acalme-se... O mundo está apenas na sua primeira volta e, com certeza, no final do dia vai completar o seu giro ao redor do sol, com ou sem a sua paciência... NÃO SOMOS SERES HUMANOS PASSANDO POR UMA EXPERIÊNCIA ESPIRITUAL... SOMOS SERES ESPIRITUAIS PASSANDO POR UMA EXPERIÊNCIA HUMANA...

Mulher

Não sei que intensa magia, teu corpo irradia Que me deixa louco assim, mulher Não sei, teus olhos castanhos, profundos, estranhos Que mistério oculta....rão, mulher. Não sei dizer Mulher, só sei que sem alma Roubaste-me a calma e aos teus pés eu fico a implorar O teu amor tem um gosto amargo e eu fico sempre a chorar nesta dor Não sei que intensa magia, teu corpo irradia Que me deixa louco assim, mulher Não sei, teus olhos castanhos, profundos, estranhos Que mistério oculta....rão, mulher Não sei dizer Mulher, só sei que sem alma Roubaste-me a calma e Não sei que intensa magia, teu corpo irradia Que me deixa louco assim, mulher Não sei, teus olhos castanhos, profundos, estranhos Que mistério oculta....rão, mulher Não sei dizer Mulher, só sei que sem alma Roubaste-me a fico sempre a chorar nesta dor

A Diferença entre ENGENHOSIDADE e INTELIGÊNCIA

Quando, antes dos anos 60, a NASA iniciou o envio de astronautas para o espaço, advertiram que as suas canetas não funcionariam à gravidade zero, dado que a tinta não desceria à superfície onde se desejaria escrever. Ao fim de 6 anos de testes e investigações, que exigiu um gasto de 12 milhões de dólares, conseguiram desenvolver uma esferográfica que funcionava em gravidade zero, debaixo de água, sobre qualquer superfície incluindo vidro e num leque de temperaturas que iam desde abaixo de zero até 300 graus centígrados. Os Russos, por seu lado, descartaram as canetas e, simplesmente deram lápis às suas tripulações para que pudessem escrever sem problemas. Em 1970, um cidadão japonês enviou uma carta a uma fábrica de sabonetes de Tókio, reclamando ter adquirido uma caixa de sabonetes que, ao abri-la, estava vazia. A reclamação colocou em marcha todo um programa de gestão administrativa e operacional; os engenheiros da fábrica receberam instruções para desenhar um sistema que impedisse que este problema voltasse a repetir-se. Depois de muita discussão, os engenheiros chegaram ao acordo de que o problema tinha sido desencadeado na cadeia de empacotamento dos sabonetes, onde uma caixinha em movimento não foi cheia com o sabonete respectivo. Por indicação dos engenheiros desenhou-se e instalou-se uma sofisticada máquina de raios "X" com monitores de alta resolução, operada por dois trabalhadores encarregados de vigiar todas as caixas de sabonete que saíam da linha de empacotamento para que, dessa maneira se assegurasse de que nenhuma ficaria vazia. O custo dessa máquina superou os 250,000 dólares. Quando a máquina de raios "X" começou a falhar ao fim de 5 meses de operação nos três turnos da empresa, um trabalhador da área de empacotamento pediu emprestado um ventilador de 50 dólares e o apontou para o final da passadeira transportadora. À medida que as caixinhas avançavam nessa direção, as que estavam vazias saíam voando da linha de empacotamento, por estarem mais leves. O gerente geral de uma cadeia hoteleira americana viajou pela segunda vez para Seul no lapso de um ano; ao chegar ao hotel onde devia hospedar-se foi recebido calorosamente com um "Bem-vindo novamente senhor, que bom vê-lo de volta em nosso hotel". Duvidando de que o recepcionista tivesse tão boa memória e surpreendido pela recepção, propôs-se que - no seu retorno a New York- imporia igual sistema de tratamento ao cliente na cadeia hoteleira que administrava. No seu regresso convocou e reuniu todos os seus gerentes pedindo-lhes para desenvolver uma estratégia para tal pretensão. Os gerentes decidiram implementar um software de reconhecimento de rostos, base de dados atualizada dia a dia, câmaras especiais, com um tempo de resposta em micro segundos, assim como a pertinente formação dos empregados, etc., cujo custo aproximado seria de 2.5 milhões de dólares. O gerente geral descartou a ideia devido aos elevados custos. Meses depois, na sua terceira viagem a Seul, tendo sido recebido da mesma maneira, ofereceu uma boa gratificação ao recepcionista para que lhe revelasse como o faziam. O recepcionista disse-lhe então: “Repare senhor, aqui temos um acordo com os taxistas do aeroporto; durante o trajeto eles perguntam ao passageiro se já antes se hospedou neste hotel, e, se a resposta é afirmativa, eles, à chegada ao Hotel, depositam as malas do hóspede do lado direito do balcão de atendimento. Se o cliente chega pela primeira vez, as suas malas são colocadas do lado esquerdo. O taxista é gratificado com um dólar pelo seu trabalho" ESTÁ É A DIFERENÇA ENTRE INTELIGÊNCIA E ENGENHOSIDADE.

Eis o perigo de mexer com pessoas inteligentes....

O humorista Danilo Gentili postou a seguinte piada no seu twitter: "King Kong, um macaco que, depois que vai para a cidade e fica famoso, pega uma loira. Quem ele acha que é? Jogador de futebol?" A ONG Afrobras se posicionou contra: "Nos próximos dias devemos fazer uma carta de repúdio. Estamos avaliando ainda uma representação criminal", diz José Vicente, presidente da ONG. "Isso foi indevido, inoportuno, de mau gosto e desrespeitoso. Desrespeitou todos os negros brasileiros e também a democracia. Democracia é você agir com responsabilidade" , avalia Vicente. Alguns minutos após escrever seu primeiro "twitter" sobre King Kong, Gentili tentou se justificar no microblog: "Alguém pode me dar uma explicação razoável por que posso chamar gay de veado, gordo de baleia, branco de lagartixa, mas nunca um negro de macaco?" (GENIAL) "Na piada do King Kong, não disse a cor do jogador. Disse que a loira saiu com o cara porque é famoso. A cabeça de vocês é que têm preconceito." Mas, calma! Essa não foi a tal resposta genial que está no título, e sim ESTA: "Se você me disser que é da raça negra, preciso dizer que você também é racista, pois, assim como os criadores de cachorros, acredita que somos separados por raças. E se acredita nisso vai ter que confessar que uma raça é melhor ou pior que a outra, pois, se todas as raças são iguais, então a divisão por raça é estúpida e desnecessária. Pra que perder tempo separando algo se no fundo dá tudo no mesmo? Quem propagou a ideia que "negro" é uma raça foram os escravagistas. Eles usaram isso como desculpa para vender os pretos como escravos: "Podemos tratá-los como animais, afinal eles são de uma outra raça que não é a nossa. Eles são da raça negra". Então quando vejo um cara dizendo que tem orgulho de ser da raça negra, eu juro que nem me passa pela cabeça chamá-lo de macaco, MAS SIM DE BURRO. Falando em burro, cresci ouvindo que eu sou uma girafa. E também cresci chamando um dos meus melhores amigos de elefante. Já ouvi muita gente chamar loira caucasiana de burra, gay de v***** e ruivo de salsicha, que nada mais é do que ser chamado de restos de porco e boi misturados. Mas se alguém chama um preto de macaco é crucificado. E isso pra mim não faz sentido. Qual o preconceito com o macaco? Imagina no zoológico como o macaco não deve se sentir triste quando ouve os outros animais comentando: - O macaco é o pior de todos. Quando um humano se xinga de burro ou elefante dão risada. Mas quando xingam de macaco vão presos. Ser macaco é uma coisa terrível. Graças a Deus não somos macacos. Prefiro ser chamado de macaco a ser chamado de girafa. Peça a um cientista que faça um teste de Q.I. com uma girafa e com um macaco. Veja quem tira a maior nota. Quando queremos muito ofender e atacar alguém, por motivos desconhecidos, não xingamos diretamente a pessoa, e sim a mãe dela. Posso afirmar aqui então que Darwin foi o maior racista da história por dizer que eu vim do macaco? Mas o que quero dizer é que na verdade não sei qual o problema em chamar um preto de preto. Esse é o nome da cor não é? Eu sou um ser humano da cor branca. O japonês da cor amarela. O índio da cor vermelha. O africano da cor preta. Se querem igualdade deveriam assumir o termo "preto" pois esse é o nome da cor. Não fica destoante isso: "Branco, Amarelo, Vermelho, Negro"?. O Darth Vader pra mim é negro. Mas o Bill Cosby, Richard Pryor e Eddie Murphy que inspiram meu trabalho, não. Mas se gostam tanto assim do termo negro, ok, eu uso, não vejo problemas. No fim das contas, é só uma palavra. E embora o dicionário seja um dos livros mais vendidos do mundo, penso que palavras não definem muitas coisas e sim atitudes. Digo isso porque a patrulha do politicamente correto é tão imbecil e superficial que tenho absoluta certeza que serei censurado se um dia escutarem eu dizer: "E aí seu PRETO, senta aqui e toma uma comigo!". Porém, se eu usar o tom correto e a postura certa ao dizer "Desculpe meu querido, mas já que é um afrodescendente, é melhor evitar sentar aqui. Mas eu arrumo uma outra mesa muito mais bonita pra você!" Sei que receberei elogios dessas mesmas pessoas; afinal eu usei os termos politicamente corretos e não a palavra "preto" ou "macaco", que são palavras tão horríveis. Os politicamente corretos acham que são como o Superman, o cara dotado de dons superiores, que vai defender os fracos, oprimidos e impotentes. E acredite: isso é racismo, pois transmite a ideia de superioridade que essas pessoas sentem de si em relação aos seus "defendidos" Agora peço que não sejam racistas comigo, por favor. Não é só porque eu sou branco que eu escravizei um preto. Eu juro que nunca fiz nada parecido com isso, nem mesmo em pensamento. Não tenham esse preconceito comigo. Na verdade, SOU ÍTALO-DESCENDENTE. ITALIANOS NÃO ESCRAVIZARAM AFRICANOS NO BRASIL. VIERAM PRA CÁ E, ASSIM COMO OS PRETOS, TRABALHARAM NA LAVOURA. A DIFERENÇA É QUE ESCRAVA ISAURA FEZ MAIS SUCESSO QUE TERRA NOSTRA. Ok. O que acabei de dizer foi uma piada de mau gosto porque eu não disse nela como os pretos sofreram mais que os italianos. Ok. Eu sei que os negros sofreram mais que qualquer raça no Brasil. Foram chicoteados. Torturados. Foi algo tão desumano que só um ser humano seria capaz de fazer igual. Brancos caçaram negros como animais. Mas também os compraram de outros negros. Sim. Ser dono de escravo nunca foi privilégio caucasiano, e sim da sociedade dominante. Na África, uma tribo vencedora escravizava a outra e as vendia para os brancos sujos. Lembra que eu disse que era ítalo-descendente? Então. Os italianos podem nunca ter escravizados os pretos, mas os romanos escravizaram os judeus. E eles já se vingaram de mim com juros e correção monetária, pois já fui escravo durante anos de um carnê das Casas Bahia. Se é engraçado piada de gay e gordo, por que não é a de preto? Porque foram escravos no passado hoje são café com leite no mundo do humor? É isso? Eu posso fazer a piada com gay só porque seus ancestrais nunca foram escravos? Pense bem, talvez o gay na infância também tenha sofrido abusos de alguém mais velho com o chicote. Se você acha que vai impor respeito me obrigando a usar o termo "negro" ou "afrodescendente" , tudo bem, eu posso fazer isso só pra agradar. Na minha cabeça, você será apenas preto e eu, branco, da mesma raça - a raça humana. E você nunca me verá por aí com uma camiseta escrita "100% humano", pois não tenho orgulho nenhum de ser dessa raça que discute coisas idiotas de uma forma superficial e discrimina o próprio irmão."

Página do caminho

Para se lançar nas atividades do bem, não aguarde o companheiro perfeito. A perfeição não costuma se fazer presente na rota dos seres em evolução. Você esperava ansiosamente a criatura irmã para formar o lar mais ditoso. Entretanto, o matrimônio lhe trouxe alguém a reclamar sacrifício e ternura. Contava com seu filho para ser um amigo próximo e fiel, a compartilhar seus sonhos e ideais. Contudo, ele alcançou a mocidade e fez-se homem sem se interessar por seus projetos. Você se amparava no companheiro de ideal, que lhe parecia digno e dedicado. Mas, de um momento para o outro, a amizade pura degenerou em discórdia e indiferença. Mantinha fé no orientador que parecia venerável, em suas palavras sábias e em seus atos convincentes. No entanto, um dia ele caiu de modo formidável, arrastado por tentações de que não se preveniu a contento. É compreensível e humana a dor de ver ruírem esperanças e relações. Contudo, embora mais solitário, continue firme no trabalho edificante que lhe constitui o ideal. Cada homem carrega consigo seus potenciais e dificuldades. A queda e a deserção de um não justificam as de outro. Sempre é possível mirar-se em quem cai e passa a rastejar. Entretanto, convém antes pensar nos que seguem adiante, altivos e valorosos. De um modo ou de outro, cada homem responde pelas consequências que gera. Na hora de enfrentá-las, será de pouco conforto lembrar que outros também padecem pela adoção de semelhante conduta. É normal desejar companheiros de ideais e afeições puras nas quais se fortaleça. Mas, quase sempre, aqueles a quem você considera como os afetos mais doces possuem importantes fragilidades. Deseja que sejam autênticos sustentáculos na luta, quando simbolizam tarefas que solicitam renúncia e amor de sua parte. Se deseja viver no bem, não valorize o gelo da indiferença e o fel da incompreensão. Lembre-se de que o coração mais belo que pulsou entre os homens respirava na multidão e seguia só. Possuía legiões de Espíritos angélicos. Mas aproveitou o concurso de amigos frágeis que O abandonaram na hora extrema. Ajudava a todos e chorou sem ninguém. Mas, ao carregar a cruz, no monte áspero, continuou a legar preciosas lições à Humanidade. Ensinou que as asas da Imortalidade podem ser extraídas do fardo de aflição. Também mostrou que, no território moral do bem, alma alguma caminha solitária. Embora a aparente derrota no mundo, todas seguem amparadas por Deus rumo a destinos gloriosos.

Este texto realmente me chamou a atenção, me confrontou e me desafiou. Espero que ele provoque isso em você também.

Dois jovens Moravianos, de 20 anos ouviram sobre uma ilha no Leste da Índia cujo dono era um Britânico agricultor e ateu, este tinha tomado das florestas da África mais de 2000 pessoas e feito delas seus escravos, essas pessoas iriam viver e morrer sem nunca ouvirem falar de Cristo. Esses jovens fizeram contato com o dono da ilha e perguntaram se poderiam ir para lá como missionários, a resposta do dono foi imediata: ” Nenhum pregador e nenhum clérico chegaria a essa ilha para falar sobre essa coisa sem sentido”. Então eles voltaram a orar e fizeram uma nova proposta: “E se fossemos a sua ilha como seus escravos para sempre?”, o homem disse que aceitaria, mas não pagaria nem mesmo o transporte deles. Então os jovens usaram o valor de sua própria venda para custear sua viagem. No dia que estavam no porto se despedindo do grupo de oração e de suas famílias o choro de todos era intenso, pois sabiam que nunca mais veriam aqueles irmãos tão queridos, quando o navio tomou certa distância eles dois se abraçaram e gritaram suas ultimas palavras que foram ouvidas: "QUE O CORDEIRO QUE FOI IMOLADO RECEBA A RECOMPENSA DO SEU SOFRIMENTO"!

Texto da verdade

"Você nasceu no lar que precisava nascer, vestiu o corpo físico que merecia, mora onde melhor Deus te proporcionou, de acordo com o teu adiantamento. Você possui os recursos financeiros coerentes com tuas necessidades... nem mais, nem menos, mas o justo para as tuas lutas terrenas. Seu ambiente de trabalho é o que você elegeu espontaneamente para a sua realização. Teus parentes e amigos são as almas que você mesmo atraiu, com tua própria afinidade. Portanto, teu destino está constantemente sob teu controle. Você escolhe, recolhe, elege, atrai, busca, expulsa, modifica tudo aquilo que te rodeia a existência. Teus pensamentos e vontades são a chave de teus atos e atitudes. São as fontes de atração e repulsão na jornada da tua vivência. Não reclame, nem se faça de vítima. Antes de tudo, analisa e observa. A mudança está em tuas mãos. Reprograma tua meta, busca o bem e você viverá melhor. Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim." (Chico Xavier)

O JUMENTO

Um jumentinho, voltando para sua casa, todo contente, fala para sua mãe: - Fui a uma cidade, e quando lá cheguei, fui aplaudido, a multidão gritava alegre, estendia seus mantos pelo chão... Todos, estavam contentes com minha presença. Sua mãe questionou se ele estava só e o burrinho disse: -Não, estava levando um homem com o nome de Jesus. Então, sua mãe falou: -Filho, volte a essa cidade, mas agora sozinho. Então o burrinho respondeu: - Quando eu tiver uma oportunidade, voltarei lá... Quando retornou a essa cidade sozinho, todos que passavam por ele, fizeram o inverso, maltratavam, xingavam e até mesmo batiam nele. Voltando para sua casa, disse para sua mãe: - Estou triste, pois nada aconteceu comigo. Nem palmas, nem mantos, nem honra... Só apanhei, fui xingado e maltratado. Eles não me reconheceram, mamãe... Indignado o burrinho disse a sua mãe: - Porque isso aconteceu comigo? Sua mãe respondeu: - Meu filho querido, você sem JESUS é só um jumento... LEMBRE-SE SEMPRE DISSO....!

A IMPORTÂNCIA DO ENTUSIASMO

A palavra Entusiasmo vem do grego e significa ter um Deus dentro de si. Os gregos eram panteístas, isto é, acreditavam em vários deuses. A pessoa entusiasmada era aquela possuída por um dos deuses e, por causa disso, poderia transformar a natureza e fazer as coisas acontecerem. Assim, se você fosse entusiasmado por Ceres (Deusa da Agricultura), você seria capaz de fazer acontecer a melhor colheita e assim por diante. Segundo os gregos, só as pessoas entusiasmadas eram capazes de vencer desafios do cotidiano. Era preciso, portanto, entusiasmar-se. Assim, o entusiasmo é diferente do otimismo. Otimismo significa acreditar que uma coisa vai dar certo. Talvez, até torcer para que dê certo. Muita gente confunde otimismo com entusiasmo. No mundo de hoje, é preciso ser entusiasmado. A pessoa entusiasmada é aquela que acredita na sua capacidade de transformar as coisas, de fazer dar certo. Entusiasmada é a pessoa que acredita em si. Acredita nos outros. Acredita na força que as pessoas têm de transformar o mundo e a própria realidade. E só há uma maneira para ser entusiasmado. É agir entusiasticamente! Se formos esperar ter as condições ideais primeiro, para depois nos entusiasmarmos, jamais nos entusiasmaremos com coisa alguma, pois sempre teremos razões para não nos entusiasmarmos. Não é o sucesso que traz o entusiasmo, é o entusiasmo que traz o sucesso! Conheço pessoas que ficam esperando as condições melhorarem, a vida melhorar, o sucesso chegar para depois se entusiasmarem. A verdade é que jamais se entusiasmarão com coisa alguma. O entusiasmo é que traz a nova visão da vida. Nesta semana, gostaria de perguntar a você, como vai o seu entusiasmo. Como vai o seu entusiasmo pelo Brasil, pela sua empresa, pelo seu emprego, pela sua família, pelos seus filhos, pelo sucesso de seus amigos? Se você é daqueles que acha impossível entusiasmar-se com as condições atuais, acredite – jamais sairá dessa situação. É preciso acreditar em você. Acreditar na sua capacidade de vencer, de construir o sucesso, de transformar a realidade. Deixe de lado todo o seu negativismo. Deixe de lado o ceticismo. Abandone a descrença e seja entusiasmado pela sua vida e principalmente entusiasmado com você. Você verá a diferença! Faça como os passarinhos: comece o dia cantando. A música é alimento para o espírito. Cante qualquer coisa, cante desafinado, mas cante! Cantar dilata os pulmões e abre a alma para tudo de bom que a vida tem a oferecer. Se insistir em não cantar, ao menos ouça muita música e deixe-se absorver por ela. Ria da vida, ria dos problemas, ria de você mesmo. A gente começa a ser feliz quando é capaz de rir da gente mesmo. Ria das coisas boas que lhe acontecem, ria das besteiras que você já fez. Ria abertamente para que todos possam se contagiar com a sua alegria. Não se deixe abater pelos problemas. Se você procurar se convencer de que está bem, vai acabar acreditando que realmente está e, quando menos perceber, vai se sentir realmente bem. O bom humor, assim como o mau humor, é contagiante. Qual deles você escolhe? Se você estiver bem-humorado, as pessoas ao seu redor também ficarão e isso lhe dará mais força. Leia coisas positivas. Leia bons livros, leia poesia, porque a poesia é a arte de aceitar a alma. Leia romances, leia a Bíblia, histórias de amor, ou qualquer coisa que faça reavivar seus sentimentos mais íntimos, mais puros. Pratique algum esporte. O peso da cabeça é muito grande e tem de ser contrabalançado com alguma coisa! Você certamente vai se sentir bem disposto, mais animado, mais jovem. Encare suas obrigações com satisfação. É maravilhoso quando se gosta do que faz, ponha amor em tudo que está ao seu alcance. Nenhuma barreira é intransponível se você estiver disposto a lutar contra ela; se seus propósitos forem positivos, nada poderá detê-los. Não deixe que seus problemas se acumulem, resolva-os logo. Fale, converse, explique, discuta, brigue: o que mata é o silêncio, o rancor. Exteriorize tudo, deixe que as pessoas saibam que você as estima, as ama, precisa delas, principalmente em família. Amar não é vergonha, pelo contrário, é lindo! Cultive o seu interior e ele extravasará beleza por todos os poros. Não tente, faça. Você pode! João Roberto Gretz Professor, palestrante e autor de livros como “A Força do Entusiasmo”, “Vida com Qualidade” e “Viabilizando Talentos”.

Os Cegos e o Elefante

Numa cidade da Índia viviam sete sábios cegos. Como os seus conselhos eram sempre excelentes, todas as pessoas que tinham problemas recorriam à sua ajuda. Embora fossem amigos, havia uma certa rivalidade entre eles que, de vez em quando, discutiam sobre qual seria o mais sábio. Certa noite, depois de muito conversarem acerca da verdade da vida e não chegarem a um acordo, o sétimo sábio ficou tão aborrecido que resolveu ir morar sozinho numa caverna da montanha. Disse aos companheiros: - Somos cegos para que possamos ouvir e entender melhor que as outras pessoas a verdade da vida. E, em vez de aconselhar os necessitados, vocês ficam aí discutindo como se quisessem ganhar uma competição. Não aguento mais! Vou-me embora. No dia seguinte, chegou à cidade um comerciante montado num enorme elefante. Os cegos nunca tinham tocado nesse animal e correram para a rua ao encontro dele. O primeiro sábio apalpou a barriga do animal e declarou: “Trata-se de um ser gigantesco e muito forte! Posso tocar nos seus músculos e eles não se movem; parecem paredes…” “Que palermice!” – disse o segundo sábio, tocando nas presas do elefante. – “Este animal é pontiagudo como uma lança, uma arma de guerra…” “Ambos se enganam” – retorquiu o terceiro sábio, que apertava a tromba do elefante. “Este animal é idêntico a uma serpente! Mas não morde, porque não tem dentes na boca. É uma cobra mansa e macia…” “Vocês estão totalmente alucinados!” – gritou o quinto sábio, que mexia nas orelhas do elefante. “Este animal não se parece com nenhum outro. Os seus movimentos são bamboleantes, como se o seu corpo fosse uma enorme cortina ambulante…” “Vejam só! Todos vocês, mas todos mesmos, estão completamente errados!” – irritou-se o sexto sábio, tocando a pequena cauda do elefante. – “Este animal é como uma rocha com uma corda presa no corpo. Posso até pendurar-me nele.” E assim ficaram horas debatendo, aos gritos, os seis sábios. Até que o sétimo sábio cego, o que agora habitava a montanha, apareceu conduzido por uma criança. Ouvindo a discussão, pediu ao menino que desenhasse no chão a figura do elefante. Quando tateou os contornos do desenho, percebeu que todos os sábios estavam certos e enganados ao mesmo tempo. Agradeceu ao menino e afirmou: “É assim que os homens se comportam perante a verdade. Pegam apenas numa parte, pensam que é o todo, e continuam tolos!”

Lucros

No Evangelho, há uma interessante passagem conhecida como A parábola do rico insensato. Trata-se de um homem que havia trabalhado muito para ajuntar bens. Quando finalmente se deu por satisfeito, propôs-se a gozar de sua fortuna. Contudo, o Senhor da vida deliberou nessa mesma noite promover o regresso do rico ao plano espiritual. Daí se colocou a questão: Para quem seria tudo o que ele tinha ajuntado? Essa lição não poderia ser mais atual. Em todos os agrupamentos humanos, palpita a preocupação de ganhar. O espírito de lucro alcança os setores mais singelos. Meninos, mal saídos da primeira infância, mostram-se interessados em amontoar egoisticamente alguma coisa. Mães numerosas abandonam seu lar a desconhecidos, a fim de experimentarem a mina lucrativa. Pais deixam de dar atenção a sua família, enquanto multiplicam ao extremo as horas de trabalho. Nesse sentido, a maioria das criaturas converte a marcha evolutiva em corrida inquietante. No entanto, por trás do sepulcro, ponto de chegada de todos os que saíram do berço, a verdade aguarda o homem e interroga: O que você trouxe? O infeliz tende a responder que reuniu vantagens materiais. Diz que se esforçou para assegurar a posição tranquila de si mesmo e dos seus. Examinada, porém, a sua bagagem, quase sempre as pretensas vitórias são derrotas fragorosas. Elas não constituem valores da alma, nem trazem o selo dos bens eternos. Atingida semelhante equação, o viajor olha para trás e sente frio. Prende-se, de maneira inexplicável, aos resultados de tudo o que amontoou na crosta da Terra. A sua consciência se enche de sombrias nuvens. E a voz do Evangelho lhe soa aos ouvidos: Pobre de você, porque seus lucros foram perdas desastrosas. E o que tem ajuntado, para quem será? É importante meditar sobre essa lição enquanto se está a caminho. Os bens do mundo são preciosos enquanto instrumentos de realização da paz. O trabalho é um meio de vida e não de morte. A título de enriquecer ou ter mais conforto não compensa esquecer o essencial. É inútil brindar os filhos com coisas e não se fazer presente em suas vidas, com palavras e exemplos dignos. As posições tão cobiçadas no mundo sempre terminam por trocar de mãos. Constitui loucura convertê-las no objetivo da existência. É preciso viver no mundo, sem ser do mundo. Fazer os sacrifícios necessários à vida na Terra. Mas jamais esquecer que se está apenas de passagem por ela, com destino ao infinito.

O Poço e a Pedra

Um monge peregrino caminhava por uma estrada quando, do meio da relva alta, surgiu um homem jovem de grande estatura e com olhos muito tristes. Assustado com aquele aparecimento inesperado, o monge parou e perguntou se poderia fazer algo por ele. O homem abaixou os olhos e murmurou envergonhado: - Sou um criminoso, um ladrão. Perdi o afeto de meus pais e dos meus amigos. Como quem afunda na lama, tenho praticado crime após crime. Tenho medo do futuro e não sinto sossego por nenhum instante. Vejo que o senhor é um monge, livre-me então desse sofrimento, dessa angústia! Pediu ajoelhando-se. O monge, que ouvira tudo em silêncio, fitou os olhos daquele homem e alguns instantes depois disse: - Estou com muita sede. Há alguma fonte por aqui? Com expressão de surpresa pela repentina pergunta, o jovem respondeu: - Sim, há um poço logo ali, porém nele não há roldana, nem balde. Tenho aqui, no entanto, uma corda que posso amarrar na sua cintura e descê-lo para dentro do poço. O senhor poderá tomar água até se saciar. Quando estiver satisfeito, avise-me que eu o puxarei para cima. O monge sorrindo aceitou a idéia e logo em seguida encontrava-se dentro do poço. Pouco depois, veio a voz do monge: - Pode puxar! O homem deu um puxão na corda empregando grande força, mas nada do monge subir. Era estranho, pois parecia que a corda estava mais pesada agora do que no início. Depois de inúteis tentativas para fazer com que o monge subisse, o homem esticou o pescoço pela borda, observou a semi-escuridão do interior do poço para ver o que se passava lá no fundo. Qual não foi sua surpresa ao ver o monge firmemente agarrado a uma grande pedra que havia na lateral. Por um momento ficou mudo de espanto, para logo em seguida gritar zangado: - Hei! que é isso? O que faz o senhor aí? Pare já com essa brincadeira boba! Está escurecendo, logo será noite. Vamos, largue essa rocha para que eu possa içá-lo. De lá de dentro o monge pediu calma ao rapaz, explicando: - Você é grande e forte, mas mesmo com toda essa força não consegue me puxar se eu ficar assim agarrado a esta pedra. É exatamente isso que está acontecendo com você. Você se considera um criminoso, um ladrão, uma pessoa que não merece o amor e o afeto de ninguém. Encontra-se firmemente agarrado a essas idéias. Desse jeito, mesmo que eu ou qualquer outra pessoa faça grande esforço para reerguê-lo, não vai adiantar nada. - Tudo depende de você. Somente você pode resolver se vai continuar agarrado ou se vai se soltar. Se quiser realmente mudar, é necessário que se desprenda dessas idéias negativas que o vêm mantendo no fundo do poço. Desprenda-se e liberte-se. A escuridão nada mais é do que a falta de luz, assim como o mal é a ausência do bem. Quando pensamentos negativos turvarem seus pensamentos, ocultando seus melhores sentimentos, busque a luz da verdade e o caminho do bem. Abandone as pedras da ignorância e do medo que o mantêm prisioneiro de suas próprias imperfeições, nos poços do egoísmo e do orgulho. Largue a pedra e acenda a luz! QUERO TRAZER A MEMÓRIA AQUILO QUE ME DÁ ESPERANÇA Quanto ao mais, irmãos, Tudo o que é verdadeiro, Tudo o que honesto, Tudo o que é justo, Tudo o que é puro, Tudo o que é amável, Tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, se há algum louvor, nisto pensai. Filipenses 4.8

O Princípio da fila Indiana..

Os homens caminham pela face da Terra em fila indiana. Cada um carregando uma sacola na frente e outra atrás. Na sacola da frente, nós colocamos as nossas qualidades. Na sacola de trás guardamos os nossos defeitos. Por isso durante a jornada pela vida, mantemos os olhos fixos nas virtudes que possuímos presas em nosso peito. Ao mesmo tempo, reparamos impiedosamente nas costas do companheiro que está adiante, todos os defeitos que ele possui. E nos julgamos melhores que ele, sem perceber que a pessoa andando atrás de nós, está pensando a mesma coisa a nosso respeito. Mude sua visão de mundo, ainda dá tempo!

Quando todos colaboram...

Num tranquilo e feliz bairro de subúrbio, onde as casas têm cercas com arranjos de flores, há uma única casa sombria e cujo jardim está morto. Os vizinhos não têm conhecimento disso, mas ali se encontra o esconderijo secreto de um vilão assustador chamado Gru, que planeja o maior golpe do mundo: ele vai roubar a lua. Gru acredita que pode vencer qualquer um que cruzar o seu caminho. Isso até o dia em que conhece as garotinhas órfãs Margô, Edith e Agnes. Elas são as únicas que conseguem ver naquele homem o que ninguém jamais viu: um pai em potencial. E o amor delas mostrará o ser bom que ele é. Este é o enredo de um desenho animado, traduzido ao idioma português como meu malvado favorito. Parece mais ser uma obra para adultos, tal a profundidade dos ensinamentos. Ali colhemos, entre tantos, um detalhe deveras interessante. Ocorre que, em determinado ponto da sua estratégia para roubar a lua, Gru se vê sem recursos. Triste, ele vai até os seus subordinados e confessa estar falido. O banco não lhe dera mais crédito e ele não dispõe de dinheiro para continuar o projeto. Há tristeza e desencanto na sua voz. Ele é um homem derrotado, fracassado, cujo mais arrojado projeto jamais poderá ser executado. Exatamente neste momento, adentram o local as três meninas. Gru fala, com leve tom de irritação, que aquela é uma reunião de negócios. Então Agnes, a menorzinha, de olhos grandes e expressivos, demonstrando que entendera toda a problemática, sorri e ergue seu cofrinho. É o suficiente. Logo, um dos ajudantes de Gru entende a mensagem e ergue uma nota. O contágio da doação é geral. Cada qual mostra o que tem e está disposto a contribuir. Por fim, reúne-se o necessário para dar andamento ao projeto. As imagens são rápidas e engraçadas. Mas o importante a se registrar é o gesto da pequena Agnes. Ela não tem ideia de quantos mil ou milhões são necessários para concluir o projeto de Gru. Nem cogita ser uma loucura querer roubar o satélite da terra. Ela se dispõe a contribuir com as moedinhas do seu cofre. E, em total desprendimento, as oferece.

A Vida é Bela

O que é a vida? Um poeta, certa vez, disse que vida “… é pena caída da asa da ave ferida de vale em vale impelida…” Alguns dizem que vida é o intervalo entre o nascer e o morrer. Outros dizem que é nosso dom mais precioso e como só temos uma vida devemos saber tomar decisões sábias. Uma coisa é certa. A vida é breve e frágil, muito frágil. Quando tinha cerca de 10 anos fiquei em coma em um CTI por causa de uma doença cerebral. Houve um momento em que os médicos falaram para mim mãe que tudo o que a medicina poderia fazer por mim já havia feito e que agora era esperar. Minha mãe e familiares esperaram por cinco dias e então a primeira palavra que disse foi: Mãe? Confesso a você que não queria ter morrido com aquela idade e, como você pode ver, Deus também não. Nas minhas reflexões, concluo que todo mundo quer viver. Isso mesmo, não há ninguém que queira morrer. Morrer não é uma opção, é o maior desastre que já se abateu sobre a raça humana. Quando afirmo que ninguém quer morrer quero dizer que até mesmo os suicidas não querem – de fato – morrer. Eles estão, na verdade, negando a vida que possuem e não a vida em sua essência. Vou exemplificar: Todas as pessoas que terminam com sua própria vida estão com sérios problemas emocionais, pressões quase sobre humanas e então fogem. Não é o lugar certo para fugir ou para se esconder, mas em um momento de fraqueza e muita dor fazem o impensável. Ter vida longa é uma bênção, mas a quantidade de tempo só tem real significado de bênção quando é acompanhada de qualidade. E para se ter qualidade de vida só há um caminho. Seguir a palavra de Deus. Ela é o mapa para uma vida próspera e feliz. As pessoas mais felizes que conheço são as que mais seguem a Bíblia! Amam o próximo, cuidam da sua saúde, vão à igreja, enfim, seguem o exemplo de Cristo. Então? O que é a vida? Lembre-se: você só tem uma. Então, por que não aproveitar esse dia e viver intensamente as coisas certas e boas? Esse dia está em branco, é você quem vai escrever a história dele. Peça a Deus que lhe dê sabedoria para fazer de hoje um dia que valha a pena ser vivido!

Trabalho e oração

A oração constitui um valioso recurso à disposição dos homens. Mediante ela, consegue-se acesso a faixas superiores da vida. O homem que ora com fervor se previne de muitos males. Ao se ligar com esferas espirituais pacíficas e felizes, gradualmente se ajusta com os ideais que nelas imperam. Entretanto, a oração não constitui um mecanismo de transferência das próprias responsabilidades. Muitas vezes se espera do céu uma solução decisiva para inúmeros problemas da existência humana. Trata-se de uma viciação mental, mediante a qual a criatura busca se furtar ao esforço que lhe cabe em sua jornada terrena. Para que isso fique claro, basta lembrar o exemplo de Jesus. Ele representa a Misericórdia Divina no planeta. Mas, enquanto na carne, não livrou ninguém de cuidar dos próprios interesses. Auxiliou doentes e aflitos, sem retirá-los das questões fundamentais que lhes diziam respeito. Zaqueu, o rico prestigiado pela visita que lhe foi feita, sentiu-se constrangido a modificar a sua conduta. Maria de Magdala recebeu carinhosa atenção. Contudo, não ficou livre do dever de sustentar-se no árduo combate da renovação interior. Lázaro, reerguido das trevas do sepulcro, nem por isso deixou de mais tarde ter de aceitar o desafio da morte física. Paulo de Tarso foi distinguido por um apelo pessoal às portas de Damasco. No entanto, a seguir se lançou em uma vida de sacrifícios para cumprir o papel que lhe cabia no mundo. Nessa linha, é totalmente ilógico acreditar que basta orar para que todos os problemas se resolvam. A oração é preciosa, mas representa apenas o começo da solução. Mediante ela, o homem se fortifica e esclarece. A partir daí, forte e lúcido, deve fazer a sua parte. Assim, ore, pois isso é mesmo importante. Mas, na sequência, trabalhe firme para atingir seus objetivos. Se deseja um emprego melhor, estude e se aprimore. Desenvolva seus talentos, eduque-se para poder aproveitar as oportunidades que surgirem em sua vida. Se quer saúde, modifique seu estilo de vida. Modere seus apetites, exercite-se, acalme-se. Caso almeje amigos dignos e confiáveis, faça por onde atrair pessoas boas para sua vida. Discipline-se para manter uma conversação sadia, seja educado e atencioso, comporte-se com nobreza. Na hipótese de sonhar com um ambiente familiar equilibrado, comece a construí-lo. Aprenda a perdoar, ouça seus familiares com atenção, respeite o espaço e as opiniões deles. Esse método talvez não pareça sedutor à primeira vista. Afinal, pressupõe esforço e disciplina. Entretanto, ele seguramente dá resultados. Todo esforço digno, por mínimo que seja, invariavelmente recebe da vida a melhor resposta.

Somos confiáveis?

Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, pois os homens serão… ….traidores – 2 Timóteo 3:1,2,4 Diz uma ilustração que certa vez dois amigos passeavam pela floresta até que se depararam com um urso. Um deles, mais ágil, subiu na árvore mais próxima e em poucos segundos estava aparentemente seguro. O outro, tomado pelo medo, ficou de início paralisado. Se lembrou de algo que ouviu e rapidamente se lançou ao chão, fingindo-se de morto. O urso se aproximou, cheirou sua cabeça e foi embora. Quando o outro amigo desceu da árvore, brincando, perguntou: O que o urso lhe disse ao ouvido? Ele respondeu: Disse que o verdadeiro amigo não abandona o outro numa situação de perigo. Esta pequena fábula explica muito bem o que é traição. É abandonar o outro quando mais precisa de nós, ou mesmo agir com falsidade, enganar, ser infiel. Os traidores são pessoas perigosas, pois aparentemente transmitem certa segurança, mas quando menos se espera são infiéis e descumprem tratos e pactos. Você não acha que o mundo está piorando neste sentido? Pensemos nos casamentos. Hoje, sendo estatisticamente conservador, a média de duração de um casamento é de 10 anos. Boa parte dos casais se separam porque o pacto de amor e entrega não é tão forte como a rotina ou a tentação de trocar de marido ou esposa, experimentando algo novo. Na China, tamanha é a preocupação com o crescente número de divórcios que o correio criou um sistema onde os recém casados escrevem cartas para o cônjuge que serão entregues aos destinatários após 7 anos. Assim, quando passarem os anos e chegue o pensamento sobre divórcio, os casais poderão lembrar quais foram os motivos que os uniram. E no âmbito dos relacionamentos? Por quantas pessoas você colocaria “a mão no fogo”? Creio que um número menor do que há anos atrás, não é mesmo? Em tempos tão competitivos onde cada um se importa consigo mesmo a traição é um recurso usado por muita gente a fim de obter a vitória e vantagens sobre seus concorrentes. Na Bíblia, dos vários exemplos de traição, o mais impactante deles o caso de Judas Iscariotes (Lucas 6.17). Ele esteve com Jesus, ouviu sua mensagem, mas o acompanhava apenas por interesse. Entregou o Filho de Deus por miseráveis trinta moedas de prata – o preço de um escravo na época. Nesses tempos difíceis em que vivemos, onde a traição se tornou algo comum e rotineiro, não podemos nos conformar. O nosso relacionamento vertical (com Deus) e horizontal (com as pessoas) deve acontecer nas bases da fidelidade e lealdade. E ao meditarmos sobre este tema devemos também olhar para nós mesmos. Somos pessoas de palavra? Somos confiáveis? Cumprimos nossos compromissos? Somos fiéis com relação a Deus e sua vontade? Somos fiéis aos amigos, família e cônjuge? Muitas decisões erradas em nossas vidas seriam evitadas se parássemos para pensar pelo menos um minuto se estamos preparados para as consequências dos nossos atos. Peçamos a Deus discernimento e sejamos vigilantes. “Vocês nos devem tratar como servidores de Cristo, que foram encarregados de administrar a realização dos planos secretos de Deus. O que se exige de quem tem essa responsabilidade é que seja fiel ao seu Senhor”. – 1 Coríntios 4.1,2

A sabedoria de Chico...

Quando você conseguir superar graves problemas de relacionamentos, não se detenha na lembrança dos momentos difíceis, mas na alegria de haver atravessado mais essa prova em sua vida. Quando sair de um longo tratamento de saúde, não pense no sofrimento que foi necessário enfrentar, mas na bênção de Deus que permitiu a cura. Leve na sua memória, para o resto da vida, as coisas boas que surgiram nas dificuldades. Elas serão uma prova de sua capacidade, e lhe darão confiança diante de qualquer obstáculo. Uns queriam um emprego melhor; outros, só um emprego. Uns queriam uma refeição mais farta; outros, só uma refeição. Uns queriam uma vida mais amena; outros, apenas viver. Uns queriam pais mais esclarecidos; outros, ter pais. Uns queriam ter olhos claros; outros, enxergar. Uns queriam ter voz bonita; outros, falar. Uns queriam silêncio; outros, ouvir. Uns queriam sapato novo; outros, ter pés. Uns queriam um carro; outros, andar. Uns queriam o supérfluo; outros, apenas o necessário. Há dois tipos de sabedoria: a inferior e a superior. A sabedoria inferior é dada pelo quanto uma pessoa sabe e a superior é dada pelo quanto ela tem consciência de que não sabe. Tenha a sabedoria superior. Seja um eterno aprendiz na escola da vida. A sabedoria superior tolera, a inferior, julga; a superior, alivia; a inferior, culpa; a superior, perdoa; a inferior, condena. Tem coisas que o coração só fala para quem sabe escutar! Chico Xavier

VERDADES para um mundo ASSUSTADO

Quase todo mundo está com medo. Medo de virar a última página da história e ler em grandes letras: fim Medo de que as previsões dos cientistas, ecologistas e religiosos se concretizem de uma vez. Medo de ver o nosso planeta transformado em cinzas e condenado a girar, para sempre, pelo espaço afora! Por todos esses temores, faz sentido perder as esperanças? È razoável concluir que Deus não existe e que não há nada além daquilo que podemos ver e tocar? Jesus sabia que nossa geração seria marcada pelo medo. Ele disse: "Os homens desmaiarão de terror, apreensivos com o que estará sobrevindo ao mundo: e os poderes celestes serão abalados. Então se verá o filho do homem vindo numa nuvem com poder e grande glória." Lucas 21:26 e 27. Os homens estão temerosos diante do que está acontecendo e na expectativa do que vai acontecer. Nunca uma geração esteve tão inquieta, tão ansiosa quanto a nossa. Homens e mulheres estão pulando de teoria para teoria, de especulação para especulação, de culto para culto. Estão tentando encontrar alguma razão para a existência e esperança. Não temos que viver de um lado para o outro como um barco à deriva num mar de incerteza e medo. Em meio a todo esse desespero, existe um livro muito difierente: a Bíblia. Há certeza e esperança em cada uma de suas páginas! A Palavra de Deus oferece uma saída para o nosso dilema. Ela é cheia de esperança porque revela um Salvador e apresenta a cruz do Calvário no centro de tudo. A Bíblia tem transformado inimigos em amigos, assassinos em seguidores de Cristo, homens imperfeitos em homens "segundo o coração de Deus", homens fracos e vacilantes em defensores destemidos da cruz. " Deus tem uma mensagem especial e ela está na Bíblia." João 3:16“ Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”.

Essa é a diferença entre os Cidadãos e os políticos

O florista foi ao barbeiro para cortar seu cabelo. Após o corte perguntou ao barbeiro o valor do serviço e o barbeiro respondeu: - Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço comunitário essa semana. O florista ficou feliz e foi embora. No dia seguinte, ao abrir a barbearia, havia um buquê com uma dúzia de rosas na porta e uma nota de agradecimento do florista. Mais tarde no mesmo dia veio um padeiro para cortar o cabelo. Após o corte, ao pagar, o barbeiro disse: - Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço comunitário essa semana. O padeiro ficou feliz e foi embora. No dia seguinte, ao abrir a barbearia, havia um cesto com pães e doces na porta e uma nota de agradecimento do padeiro. Naquele terceiro dia veio um deputado para um corte de cabelo. Novamente, ao pedir para pagar, o barbeiro disse: - Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço comunitário essa semana. O deputado ficou feliz e foi embora. No dia seguinte, quando o barbeiro veio abrir sua barbearia, havia uma dúzia de deputados fazendo fila para cortar cabelo.

Pare o mundo que eu quero descer!!!

Sou da década de 60, para ser mais exato 1963. Sempre via em meus avós ou aqueles tios mais idosos uma referência para poder nortear todos os meus relacionamentos de adolescente. Claro, você vai dizer: “ - Os tempos mudaram!” Concordo, os tempos mudaram, mas a moral, os bons costumes, o senso de ridículo e o respeito são princípios imutáveis, pelo menos na vida cristã, é o que se espera. Esta semana assisti a uma reportagem onde senhoras com seus 70, 75 e até 80 anos participavam de um “Ensaio Erótico Sensual” (sic). Uma delas, inclusive, sendo orientada pelo próprio marido para (segundo o próprio) conter a “ousadia” do fotógrafo. Em seguida alguns profissionais da moda e psicólogos comentaram a atitude das idosas senhoras enaltecendo-as, justificando-as inclusive dizendo: “Na melhor idade também há sensualidade e erotismo”. Uma vez mais me lembrei de minha querida avó, onde em situações como essas diria: “- Meu netinho, “Enquanto houver burro, São Jorge não anda a pé!” ” , em outras palavras: “Os porcos estão onde há fartura de lavagem”. Jesus seria mais direto e mais contextualizado com vovó: “(…) Perguntaram-lhe: Onde, Senhor? E respondeu-lhes: Onde estiver o corpo, aí se ajuntarão também os abutres (…)” Lucas 17.37 Imediatamente me remeti aos idos 1975 quando nos momentos de crise existencial procurava conselhos com a vovó, que sempre tinha uma palavra sábia nos direcionando para a via da ética, bons costumes e respeito. Fiquei imaginando vovó assistindo a mesma reportagem ao meu lado e tecendo seus sábios comentários…. Nunca saberei o que ela diria, mas pelo andar das coisas tenho certeza de que “É O FIM”. Não adianta se indignar pela pobre adolescente estuprada à luz do dia dentro de um ônibus, em pleno Leblon (RJ) por um maníaco perverso, quando a poucos metros dali algumas vovós, no mesmo “espírito de erotismo e sensualidade”, estavam emprestando seus enrugados corpos para um “Ensaio”. Não sei se Jeremias presenciou alguma abominação parecida em sua época, mas quero emprestar desse sofrido profeta a mesma indignação pelos seus contemporâneos quando diz: “(…) Porventura se envergonham de terem cometido abominação? Não; de maneira alguma se envergonham, nem sabem que coisa é envergonhar-se. Portanto cairão entre os que caem; e no tempo em que eu os visitar, serão derribados, diz o Senhor.(…)” Jeremias 8.12 Sendo assim, só me resta puxar a cordinha e pedir ao motorista: PARE O MUNDO QUE EU QUERO DESCER!!!!!!!!!!! OU MELHOR: “ – MARANATA, ORA VEM SENHOR JESUS!!!

Para você...

Há uma palavra de profecia que lhe dá ânimo Há uma uma palavra de profecia que irá levantar voce, e voce será consolado no meio do deserto. Deus é teu refúgio, Ele está contigo, Ele lhe cercará de suas misericórdias, do seu amor, do seu cuidado. O Senhor renovará as tuas forças. Tenha coragem, ânimo, e entusiasmo, lembre-se que voce é especial para o Senhor. Lembre-se que Deus tem um concerto uma aliança com voce, voce não é qualquer um, voce é escolhido por Deus. Quando a tristeza bater em teu coração, lembre-se que Deus ti chamou, ele separou voce para Ele. Sabe, não olhe as circunstãncias, olhe além destas circunstãncias, e este além se chama Deus, é o Senhor no controle, é Deus mudando a história da tua vida. Hoje há desanimo - amanhã á forças renovadas, à jubilo. Ele faz forte o cansado, Ele levanta o abatido, Espere em Deus, olhe para Deus, e deixe "Deus segurar na tua mão" para que nos tempos difíceis, voce encontre forças e coragem

Legislação complementar da Lei de Murphy

Para quem não conhece a lei de MURPHY : "Se alguma coisa pode dar errado, com certeza dará" Legislação complementar às Leis de Murphy: LEIS E PRINCÍPIOS DEMONSTRADOS EMPIRICAMENTE: "O seguro cobre tudo, menos o que aconteceu" ( Lei de Nonti Pagam) "Quando você estiver com apenas uma mão livre para abrir a porta, a chave estará no bolso oposto." (Lei de Assimetria, de Laka Gamos) "Quando tuas mãos estiverem sujas de graxa, vai começar a te coçar no mínimo o nariz." (Lei de mecânica de Tukulito Tepyka) "Não importa por que lado seja aberta a caixa de um medicamento. A bula sempre vai atrapalhar." (Princípio de Aspirinovisk) "Quando você acha que as coisas começam a melhorar, é porque algo te passou despercebido." (Primeiro teorema de Tamus Ferradus) "Sempre que as coisas parecem fáceis, é porque não entendemos todas as instruções." (Principio de Atrop Lado) Os problemas não se criam, nem se resolvem, só se transformam." (Lei da persistência de Waiterc Pastar) "Você vai chegar ao telefone exatamente a tempo de ouvir quando desligam." (Principio de Ring A. Bell) "Se só existirem dois programas que valham a pena assistir, os dois passarão na mesma hora." (Lei de Putz Kiparil) "A probabilidade que você se suje comendo é diretamente proporcional à necessidade que você tem de estar limpo." (Lei de Kika Gadha) "A velocidade do vento é diretamente proporcional ao preço do penteado." (Lei Meteorológica Pagá Barbero ) "Quando, depois de anos sem usar, você decide jogar alguma coisa fora, vai precisar dela na semana seguinte." ( Lei irreversível de Kitonto Kifostes) "Sempre que você chegar pontualmente a um encontro não haverá ninguém lá para comprovar, e se ao contrário, você se atrasar, todo mundo terá chegado antes de você." (Princípio de Tardelli e Esgrande La de Mora) 1- LEIS BÁSICAS DA CIÊNCIA MODERNA: * Se mexer, pertence à Biologia. * Se feder, pertence à Química. * Se não funciona, pertence à Física. * Se ninguém entende, é Matemática. * Se não faz sentido, é Economia ou Psicologia. * Se mexer, feder, não funcionar, ninguém entender e não fizer sentido, é INFORMÁTICA.

Resposta da professora ao aluno universitário....

Uma professora universitária estava acabando de dar as últimas orientações para os alunos acerca da prova final que ocorreria no dia seguinte. Finalizou alertando que não haveria desculpas para a falta de nenhum aluno, com exceção de um grave ferimento, doença ou a morte de algum parente próximo. Um engraçadinho que sentava no fundo da classe, perguntou com aquele velho ar de cinismo: Dentre esses motivos justificados, podemos incluir o de extremo cansaço por atividade sexual ??? A classe explodiu em gargalhadas, com a professora aguardando pacientemente que o silêncio fosse restabelecido. Tão logo isso ocorreu, ela olhou para o palhaço e respondeu: - Isto não é um motivo justificado. Como a prova será em forma de múltipla escolha, você pode vir para a classe e escrever com a outra mão. ou, se não puder sentar-se, pode respondê-la em pé.

A inversão de valores que assola o Brasil....vergonha!

**Carta enviada de uma mãe para outra mãe em SP, após noticiário na TV: **DE MÃE PARA MÃE:** ***Vi seu enérgico protesto diante das câmeras de televisão, contra a transferência do seu filho, menor infrator, das dependências da FEBEM, em São Paulo, para outra dependência da FEBEM, no interior do Estado. ***Vi você se queixando da distância que agora a separa do seu filho, das dificuldades e das despesas que passou a ter para visitá-lo, bem como de outros inconvenientes, decorrentes daquela transferência. ***Vi também toda a cobertura que a mídia deu para o fato, assim como vi que não só você, mas igualmente outras mães na mesma situação que você, contam com o apoio de Comissões Pastorais, Órgãos e Entidades de Defesa de Direitos Humanos, ONGs, etc... ***Eu também sou mãe e, assim, bem posso compreender seu protesto. Quero com ele fazer coro. ***Enorme é a distância que me separa do meu filho. ***Trabalhando e ganhando pouco, idênticas são as dificuldades e as despesas que tenho para visitá-lo. Com muito sacrifício, só posso fazê-lo aos domingos, porque labuto, inclusive aos sábados, para auxiliar no sustento e educação do resto da família... ***Felizmente conto com o meu inseparável companheiro, que desempenha para mim importante papel de amigo e conselheiro espiritual. ***Se você ainda não sabe, sou a mãe daquele jovem que o seu filho matou estupidamente num assalto a uma vídeo-locadora, onde meu filho trabalhava, durante o dia, para pagar os estudos à noite. ***No próximo domingo, quando você estiver abraçando, beijando e fazendo carícias no seu filho, eu estarei visitando o meu e depositando flores no seu humilde túmulo, num cemitério da periferia de São Paulo... ***Ah! Ia me esquecendo, e também ganhando pouco e sustentando a casa, pode ficar tranqüila, viu, que eu estarei pagando de novo, o colchão que seu querido filho queimou lá na última rebelião da Febem. ***Nem no cemitério, nem na minha casa, NUNCA apareceu nenhum representante destas "Entidades" que tanto lhe confortam, para me dar uma palavra de conforto, e talvez me indicar:"Os meus direitos"! **Talvez a gente consiga acabar com esta inversão de valores que assola o Brasil.*** ***DIREITOS HUMANOS SÃO PARA HUMANOS DIREITOS***

Ser feliz ou ter razão?

Oito da noite, numa avenida movimentada. O casal já está atrasado para jantar na casa de uns amigos. O endereço é novo, bem como o caminho que ela consultou no mapa antes de sair. Ele conduz o carro. Ela orienta e pede para que vire, na próxima rua, à esquerda. Ele tem certeza de que é à direita. Discutem. Percebendo que além de atrasados, poderão ficar mal-humorados, ela deixa que ele decida. Ele vira à direita e percebe, então, que estava errado. Embora com dificuldade, admite que insistiu no caminho errado, enquanto faz o retorno. Ela sorri e diz que não há nenhum problema se chegarem alguns minutos atrasados. Ele questiona: - Se tinhas tanta certeza de que eu estava indo pelo caminho errado, por que não insistiu um pouco mais? Ela diz: - Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz!!! Estávamos à beira de uma discussão, se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite! MORAL DA HISTÓRIA Esta pequena história foi contada por uma empresária, durante uma palestra sobre simplicidade no mundo do trabalho. Ela usou a cena para ilustrar quanta energia nós gastamos apenas para demonstrar que temos razão, independentemente, de tê-la ou não. Desde que ouvi esta história, tenho me perguntado com mais freqüência: 'Quero ser feliz ou ter razão?' Outro pensamento parecido, diz o seguinte: 'Nunca se justifique. Os amigos não precisam e os inimigos não acreditam'.

Cuidando do corpo

Deepak Chopra é médico formado na Índia, com especialização em Endocrinologia nos Estados Unidos, onde está radicado desde a década de setenta. Filósofo de reputação internacional, já escreveu mais de três dezenas de livros, sendo um dos mais respeitados pensadores da atualidade. A respeito do ser humano saudável, ele escreveu: Somos as únicas criaturas na face da Terra capazes de mudar nossa biologia pelo que pensamos e sentimos! Nossas células estão constantemente bisbilhotando nossos pensamentos e sendo modificadas por eles. Um surto de depressão pode arrasar nosso sistema imunológico. Apaixonar-se, ao contrário, pode fortificá-lo tremendamente. A alegria e a realização nos mantêm saudáveis e prolongam a vida. A recordação de uma situação estressante, que não passa de um fio de pensamento, libera o mesmo fluxo de hormônios destrutivos que o estresse. Nossas células estão constantemente processando as experiências e metabolizando-as, de acordo com nossos pontos de vista pessoais. Quando nos deprimimos por causa da perda de um emprego, projetamos tristeza por toda parte no corpo. A produção de neurotransmissores, por parte do cérebro, se reduz. Baixa o nível de hormônios. O ciclo de sono é interrompido. As plaquetas sanguíneas ficam mais viscosas e mais propensas a formar grumos. Os receptores neuropeptídicos, na superfície externa das células da pele, se tornam distorcidos. E, até nossas lágrimas passam a conter traços químicos diferentes das lágrimas de alegria. Contudo, nosso perfil bioquímico é alterado, quando nos encontramos em nova posição. A ansiedade por causa de um exame acaba passando, assim como a depressão por causa de um emprego perdido. Assim, se desejamos saber como está nosso corpo hoje, basta que nos recordemos do que pensamos ontem. Se desejamos saber como estará nosso corpo amanhã, será suficiente que examinemos nossos pensamentos hoje. Abrir nosso coração para a alegria, às coisas positivas é medida salutar. Se desejamos gozar de saúde física, principiemos a mudar nossa maneira de pensar. Não foi por outro motivo que o Celeste Médico das nossas almas, conhecedor profundo de todas as leis que regem nosso planeta, foi pródigo em exortações como: Não vos inquieteis, dizendo: "Que comeremos" ou "Que beberemos", ou "Que vestiremos"? Pois estas coisas os gentios buscam. De fato, vosso Pai Celestial sabe que necessitais de todas estas coisas. Portanto, não vos inquieteis com o amanhã, pois o amanhã se inquietará consigo mesmo! Basta a cada dia o seu mal. Com isso, recomendava que não nos deixássemos abraçar pela ansiedade. E mais: Andai como filhos da luz. Ora, os filhos da luz iluminam, vibram positivamente, porque luz tem a ver com tudo de bom.

Pai, eu estou observando você

Pai... Você não sabe disto agora... mas eu estou observando você. Observando as coisas que você faz. Observando como você trata as pessoas. O modo como você trata a mim, a minha mãe e a minha irmã. O modo como você vive está tendo um grande impacto em mim. Quando chegar a minha hora de escolher uma profissão, e prover minha família, a sua ética no trabalho estará na minha mente. O tempo que você passa comigo, mesmo que fazendo algo bobo, fará com que eu me sinta mais confiante. Haverá momento em minha vida, em que lutarei com minha integridade e, talvez, não esteja certo do que fazer. Mas me recordarei de como você defendia aquilo que era correto, mesmo quando você podia ter olhado para o outro lado. Algumas das escolhas que você está fazendo, eu também farei. Por favor, não tenha medo de me mostrar seus fracassos, de mostrar os seus erros. Eu aprenderei com eles. Pai, você está ouvindo? Eu estou observando você... Observando se você crê realmente naquilo que fala sobre Deus. Eu preciso da sua ajuda para me mostrar o caminho. Mostrar-me como viver uma vida que não é segura. Mas é boa! Eu estou observando, pai. Todos os dias. Você está me ensinando como viver... Ainda que não saiba disso.

O Homem e o Rio

Havia um homem apaixonado por um rio, gastava longas horas vendo suas águas a passar, carregando em seu dorso suave folhas e histórias das cidades acima e isto dava felicidade. Sua grande alegria era quando chegava a tarde, depois do trabalho ele ia correndo para o rio, pulava uma cerca e ficava lá em uma prainha, com os pés mexendo nas areias grossas, bem embaixo de um velho ingá. Falava muito, confidenciava segredos, dava gargalhadas, nunca ia embora, enquanto houvesse luz e por muitas vezes só se deu conta que era noite quando a lua ladrilhava de prata as águas do rio. Ficava lá, remoendo lembranças, indo para o futuro em sonhos. Seus olhos eram rio. O rio passeava com suas águas amigas em seus olhos, como em nenhum outro. Ambos pareciam ter nascido para ser daquele jeito, nunca sem o outro, a unidade de almas. Dizia o homem: - Amor pra toda vida. Porém, um dia, o céu escureceu. Nuvens cobriram a terra a chuva desabou sobre o mundo. A cabeceira do rio foi enchendo e logo tudo virou correnteza. Árvores foram arrancadas, folhas deram lugar aos galhos pesados, estes arranhavam tudo o que encontravam, as barrancas desmaiavam e sumiam devoradas pela fúria das águas. O rio cresceu, ultrapassou as margens, derrubou cercas, foi crescendo até chegar na casa do homem da história e destruiu tudo o que encontrou. Avançou o jardim... margaridas e rosas desapareceram, entrou porta adentro com as mãos cheias de lama. Apagou o fogo no velho fogão a lenha, tudo ficou destruído. Quando veio o sol, veio também a desolação. Tinha que recomeçar e como é difícil recomeçar. Fez o que pôde, sem olhar em direção ao rio. Seu peito era uma amargura só. Sua cabeça não ficava em silêncio. S ó pensava no que iria dizer. Então falou: - Por quê? Por que fez isto? Eu confiava em você, tinha certeza que isto não iria acontecer, não conosco. Havia muito amor entre nós, amor que não merecia acabar assim. Não é só a lama que está no jardim, é a confiança que nunca mais será confiança, o amor que nunca mais será amor, é o adeus que será para sempre adeus... Foi inútil o rio tentar explicar. Nunca mais tarde se encontraram. Nunca mais a lua cantou naquele lugar e as águas daquele rio, como o coração daquele homem nunca mais foram os mesmos. O homem mudou-se para muito longe e o rio, quando passava por lá, tentava não olhar... mas sonhava, bem dentro, em suas águas mais profundas, um dia ver ali, debaixo do ingá, quem nunca deveria ter ido embora... Assim também agimos muitos de nós. Quando somos magoados, feridos ou ofendidos por alguém que amamos, ficamos revoltados, indignados, decepcionados com essa pessoa e não lhe damos uma segunda chance. Viramos as costas e negamos alguma oportunidade de reconciliação. Devemos refletir sobre essas atitudes e aprender a perdoar mais, a amar mais!

Tranquilizar-se em Deus

Não há quem percorra os caminhos da vida isento das dificuldades e situações desafiadoras. As vidas tranquilas, os cotidianos previsíveis também têm seus dias de dores, de problemas e de aflições. Alguns surgem de repente, qual tsunami arrastando e arrasando tudo que aparentemente parecia tão em ordem. Outros se fazem tempestade de longo prazo, que se inicia lenta, ganhando força com o tempo e arrancando o que haja pela frente. Não poucos, no mundo, enfrentam os mais graves desafios. Ora o companheiro, que parecia tão feliz ao nosso lado, decide romper laços construídos no tempo e se evadir do lar, buscando aventuras. Outros há que, em exame de saúde rotineiro, descobrem a doença invasiva, que já se instalou avassaladora. Tantos são aqueles que, sob os camartelos do clima, veem o lar, os amores, seus pertences serem levados de roldão em poucas horas, sobrando o vazio. São as aflições do mundo, as dores da vida a nos acompanhar os dias de aprendizado. Todas, independentemente da forma que se apresentem, são as lições necessárias para nosso aprendizado. Dores são oportunidades da alma para a reflexão, o entendimento melhor dos porquês da vida. Mas onde as dores nos encontrem, não nos permitamos abraçar o desespero e o desânimo. Deus será sempre o provedor maior nas dificuldades e o amparo constante ao nosso coração combalido. Se atravessamos dias difíceis, muitas vezes sob um silêncio dolorido e ignorado, amparemo-nos em Deus. Se sentirmos a solidão dolorida e imensa na alma, mesmo na multidão bulhenta que nos acompanha o caminhar, refugiemo-nos em Deus. Se aflições nos tomam a alma, a rasgar-nos as fibras do sentimento, dilacerando-nos a intimidade, assosseguemo-nos em Deus. Se a consciência gritar, acusando-nos de erros perdidos no silêncio do tempo, mas que nos atormentam o caminhar, aconselhemo-nos com Deus. Ele será sempre o amparo perante as dores do mundo e o sustento nas necessidades mais íntimas. Ao buscarmos Deus, seja qual for o nosso problema, ao tranquilizarmo-nos em Deus, hauriremos o de que necessitamos para enfrentar os desafios. E, por fim, recordemos, como nos ensinou Jesus, que mesmo um homem mau jamais daria uma serpente ao filho se esse lhe pedisse um pedaço de pão. Que dirá o Pai, que está nos céus, a cuidar de cada um de nós, Seus filhos amados!

Modéstia do Gaúcho, tche !

A maior montadora de Ônibus das Américas é Gaúcha -MARCOPOLO A mais antiga Cooperativa de Crédito da América do Sul (106 anos) é Gaúcha-SICREDI PIONEIRA A maior Industria de Calçados da América do Sul é Gaúcha- AZALÉIA. O Clube de Futebol mais antigo do Brasil é Gaúcho - E..C.RIO GRANDE A única Ponte móvel do Brasil é Gaúcha - PONTE DO GUAIBA O maior produtor de Vinhos do Brasil é o Rio Grande do Sul A maior Feira de Agro Pecuária da América Latina é Gaúcha- EXPOINTER O maior CANION da América Latina é Gaúcho - APARADOS DA SERRA ( Itaimbézinho) A maior Praia do Brasil é Gaúcha CASSINO-RIO GRANDE A Cidade Turística mais conhecida no Brasil (Não Capital) é Gaúcha - GRAMADO A maior Exposição Permanente de Quadros do Brasil,de um só Pintor é Gaúcha-FUNDAÇÃO SCHEFFEL-N.Hamburgo O único Estado do Brasil que sabe cantar seu Hino é o RGSul- HINO RIO GRANDENSE. É chato ser Gaúcho É fácil perceber porque o Casseta e algumas pessoas de outros estados gostam tanto de fazer piadas sobre os gaúchos: - A miss Brasil é gaúcha. - A melhor modelo do mundo é gaúcha. - O melhor jogador de futebol do mundo é gaúcho. - A melhor atleta olímpica brasileira é uma gaúcha. - O maior centro de transplante do Brasil é no Rio Grande do Sul. - O campeão do mundo de judô é gaúcho. - É um estado onde o gaúcho chama sua mulher de 'prenda' que significa algo precioso, jóia. - O melhor futsal do Brasil e possivelmente do mundo é gaúcho. - O estado com o maior número de títulos nacionais no futebol é o Rio Grande do Sul. - O melhor padrão de vida do Brasil é no Rio Grande do Sul. - O Centro-Oeste está virando uma potência agrícola graças aos Gaúchos que emigraram. - O presidente mais importante da história do Brasil foi gaúcho.. - O prato mais apreciado e popular (em restaurantes) do país é o churrasco. - O gaúcho é o único que leva consigo a tradição para qualquer lugar que vai, o CHIMARRÃO. _ O gaúcho é o único que carrega consigo a bandeira de seu Estado em estádios, shows, eventos, passeios, ... - São gaúchos muitos dos melhores profissionais de comunicação que as grandes redes nacionais (a começar pela Globo), vêm buscar aqui para qualificar os seus quadros. - Dos 105 anos de república brasileira, gaúchos (Getúlio, João Goulart, Médici e Geisel) governaram o país durante 29 anos (quase 28% do tempo). - Na verdade, é apenas uma compensação pela grande dor-de-cotovelo que aqueles frustrados sentem quando olham para o que eles dizem ser o fim do país, mas que na verdade é o ponto sobre o qual o Brasil se apóia. O MELHOR DE SER BRASILEIRO É SER GAÚCHO!! ESPALHEM PARA TODO O BRASIL SABER!!! Mas bah tchê!

PÁSCOA

- Papai, o que é Páscoa? - Ora, Páscoa é... bem... é uma festa religiosa! - Igual ao Natal? - É parecido. Só que no Natal comemora-se o nascimento de Jesus, e na Páscoa, se não me engano, comemora-se a sua ressureição. - Ressurreição? - É, ressurreição. Marta , vem cá! - Sim? - Explica pra esse garoto o que é ressurreição pra eu poder ler o meu jornal. - Bom, meu filho, ressurreição é tornar a viver após ter morrido. Foi o que aconteceu com Jesus, três dias depois de ter sido crucificado. Ele ressuscitou e subiu aos céus. Entendeu? - Mais ou menos... Mamãe, Jesus era um coelho? - O que é isso menino? Não me fale uma bobagem dessas! Coelho! Jesus Cristo é o Papai do Céu! Nem parece que esse menino foi batizado! Jorge, esse menino não pode crescer desse jeito, sem ir numa missa pelo menos aos domingos. Até parece que não lhe demos uma educação cristã! Já pensou se ele solta uma besteira dessas na escola? Deus me perdoe! Amanhã mesmo vou matricular esse moleque no catecismo! - Mamãe, mas o Papai do Céu não é Deus? - É filho, Jesus e Deus são a mesma coisa. Você vai estudar isso no catecismo. É a Trindade. Deus é Pai, Filho e Espírito Santo. - O Espírito Santo também é Deus? - É sim. - E Minas Gerais? - Sacrilégio!!! - É por isso que a ilha de Trindade fica perto do Espírito Santo? -Não é o estado do Espírito Santo que compõe a Trindade, meu filho, é o Espírito Santo de Deus. É um negócio meio complicado, nem a mamãe entende direito. Mas se você perguntar no catecismo a professora explica tudinho! - Bom, se Jesus não é um coelho, quem é o coelho da Páscoa? - Eu sei lá! É uma tradição. É igual a Papai Noel, só que ao invés de presente ele traz ovinhos. - Coelho bota ovo? - Chega! Deixa eu ir fazer o almoço que eu ganho mais. - Papai, não era melhor que fosse galinha da Páscoa? - Era... era melhor, sim... ou então urubu. - Papai, Jesus nasceu no dia 25 de dezembro, né? Que dia ele morreu? - Isso eu sei: na Sexta-feira Santa. - Que dia e que mês? - (???) Sabe que eu nunca pensei nisso? Eu só aprendi que ele morreu na Sexta-feira Santa e ressuscitou três dias depois, no Sábado de Aleluia. - Um dia depois! - Não três dias depois. - Então morreu na Quarta-feira. - Não, morreu na Sexta-feira Santa... ou terá sido na Quarta-feira de Cinzas? Ah, garoto, vê se não me confunde! Morreu na Sexta mesmo e ressuscitou no sábado, três dias depois! - Como? - Pergunte à sua professora de catecismo! - Papai, porque amarraram um monte de bonecos de pano lá na rua? - É que hoje é Sábado de Aleluia, e o pessoal vai fazer a malhação do Judas. Judas foi o apóstolo que traiu Jesus. - O judas traiu Jesus no sábado? - Claro que não! Se Jesus morreu na Sexta!!! - Então por que eles não malham o Judas no dia certo? - Ui... - Papai, qual era o sobrenome de Jesus? - Cristo. Jesus Cristo. - Só? - Que eu saiba sim, por quê? - Não sei não, mas tenho um palpite de que o nome dele era Jesus Cristo Coelho. Só assim esse negócio de coelho da Páscoa faz sentido, não acha? - Ai, coitada! - Coitada de quem? - Da sua professora de catecismo!

Se eu tivesse...

Se eu tivesse falado do amor que sentia, se eu tivesse perdoado, aconselhado, se eu tivesse me calado... Estas são afirmativas que costumam fazer parte dos nossos pensamentos em alguns momentos da vida. Diante da perda de um ente querido ou no momento em que sabemos estar próxima a nossa partida para a Pátria Espiritual, a sensação de que se poderia ter feito muito mais, é causa de uma das grandes dores do ser humano. Pensamos que poderíamos ter sido mais cuidadosos nos relacionamentos com os amigos e amores, ter nos doado mais ao próximo, realizado aquele sonho... ou simplesmente poderíamos ter amado mais. O arrependimento pelo bem que não foi feito é doloroso. Conveniente seria se vivêssemos a vida sem precisar de um dia empregar essas frases, que demonstram que algo poderia ter sido feito e que agora, não mais nos é possível fazê-lo. Muitas vezes justificamos o abandono de um objetivo por não termos as condições que julgamos ideais para cumpri-lo. Dizemos a nós mesmos que não temos o dinheiro ou o tempo suficiente, o poder ou a autoridade, que não temos coragem ou disposição, que somos velhos demais ou jovens demais ou que temos saúde de menos. Essas afirmativas apenas demonstram o nosso desânimo frente às situações que a vida nos apresenta. Colocamo-nos facilmente na condição de depender de algo ou de alguém para agir, quando toda ação depende exclusivamente da nossa própria vontade.

Dicas para o empreendedor individual....

Recebemos sempre muitas perguntas a respeito de como emitir nota fiscal, como se formalizar e trabalhar dentro da legalidade. Muitas pessoas têm esse desejo, mas nem sempre é simples. Para ajudar um pouco com esse tema, a nossa colaboradora Patricia Lopateli escreveu um texto detalhado com todas as informações para você que deseja ser uma empreendedora individual. É importante salientar que antes de abrir qualquer negócio é necessário muito estudo e cuidado. O primeiro passo é montar o seu plano de negócios detalhado. Para saber como fazer isso e ter muitas outras informações, procure o Sebrae da sua cidade. Lá você vai ter todos os detalhes, além de poder fazer cursos e seguir o caminho certo para abrir um negócio de sucesso. Serão dois posts com todas as dicas. Não perca nenhum detalhe. Obs: As informações disponibilizadas abaixo são válidas para a data em que foi escrito o artigo. Como as legislações vigentes mudam com frequência, procure se informar com um contador antes de tomar qualquer atitude. Acompanhe o texto da Patrícia: O Empreendedor Individual ou EI, como vem sendo tratado, foi criado para facilitar o registro de pequenos empreendimentos, que na grande maioria são informais no Brasil. Trata-se da criação de uma nova faixa de enquadramento do Simples Nacional que já é um sistema simplificado de tributação de microempresas e empresas de pequeno porte e que criou condições especiais para que o trabalhador informal possa se legalizar. Requisitos para ser um empreendedor individual: - Ter um faturamento de até no máximo R$ 60.000,00 por ano, - Possuir no máximo 1 empregado (Ganhando 1 Salário mínimo ou piso da categoria) - Deve exercer atividade sozinho (não possuir sócios) - Não ter participação em outra empresa e nem ter filial. Ocupações artesanais contempladas São mais de 450 ocupações contempladas para se formalizar como empreendedor individual, entre elas estão às seguintes ocupações voltadas ao artesanato: Artesão de bijuterias; Artesão em borracha; Artesão em cerâmica; Artesão em cimento; Artesão em cortiça, bambu e afins; Artesão em couro; Artesão em gesso; Artesão em madeira; Artesão em mármore, granito, ardósia e outras pedras; Artesão em metais; Artesão em metais preciosos; Artesão em papel; Artesão em plástico; Artesão em vidro, e Artesão em outros materiais. Como se Formalizar O processo de formalização é simples, rápido, gratuito e seguro, feito através do site: www.portaldoempreendedor.gov.br O Portal do Empreendedor engloba vários sistemas criados para aberturas de empresas como: Juntas Comerciais, Receita Federal e Previdência Social. Esse Portal foi criado para permitir que o empreendedor se registre de forma on-line. No momento do cadastro, é importante ter em mãos os seguintes documentos: CPF, RG, endereço residencial, título de eleitor e endereço do local onde a atividade será exercida. Como todo processo de formalização é feito através da internet, o CNPJ, o nº de Inscrição na Junta Comercial, do INSS e o Alvará Provisório serão obtidos no ato do cadastro. No prazo de 180 dias a Prefeitura vai confirmar se o local escolhido é adequado ou não para exercer sua atividade. Não é necessário anexar nenhum documento e enviar para Junta Comercial. No momento do cadastro, o empreendedor poderá registrar uma ocupação como sendo a Principal e até quinze como Segundárias. Sendo que cada ocupação receberá um CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas). No próprio Portal do Empreendedor você terá a disposição uma lista de escritórios de contabilidade que são optantes pelo Simples Nacional onde você poderá fazer também seu cadastro. Recomendá-se que o registro seja efetuado somente quando estiver ciente de todas as normas da Prefeitura em relação ao local de funcionamento do seu negócio. Assim que concluir o processo de registro, será emitido o Certificado da Condição de Microempreendedor Individual (CCMEI) que é o documento que comprova que você já está registrado como Empreendedor Individual. Vantagens - Burocracia menor (praticamente simbólica) - Abertura on-line e sem cobrança de nenhuma taxa; - Dispensado das obrigações formais (contábil e fiscal) que as demais empresas necessitam. Porém, é recomendável pelo menos uma organização mínima, já que a contabilidade é uma ferramenta que pode auxiliar o empreendedor na gestão do seu negócio. - Emissão de Notas Fiscais. Dispensado de emitir nota fiscal apenas se a venda for efetuada para pessoa fisica (consumidor final). Sendo obrigatório no caso de venda para pessoa jurídica (empresa) para comprovar vendas ou serviços prestados; - Obtenção do CNPJ (cadastro nacional de pessoa jurídica) podendo ter acesso a produtos e serviços bancários especiais , inclusive créditos e taxas diferenciados; - Concessão de Alvará através da internet, sem pagamento de taxas; - Cobertura Previdênciária. O empreendedor individual que pagar corretamente os carnês, fazendo as contribuições necessárias, quando estiver na idade de se aposentar, terá direito a um salário mínimo mensal, desde que respeitada a carência mínima de contribuições mensais. - Apoio técnico do SEBRAE (capacitação) - Apoio durante o 1º ano como empreendedor individual, com uma rede de empresas contábeis que darão consultoria gratuita nesse período; - Isenção dos tributos federais ( I.R / PIS / COFINS / CSLL e IPI). Não deixe de ler o próximo post, com mais informações sobre esse assunto. Sobre a Autora Patrícia Lopateli, 28 anos, formada em Ciências contábeis e uma apaixonada por artesanatos desde a adolescência, época em que conheceu o Ponto Cruz e os Sabonetes Artesanais. Atualmente dedica-se a Arte do Scrapbook.

Quando Deus te reanima

Sabemos que a vida humana é marcada pela inconstância do coração. Há dias em que somos tomados pela esperança e outros marcados pela melancolia da alma. Há dias de encorajamento e dias de inquietante desmotivação. Há dias de paz e dias de angústia. Dias de alegria e dias de amargura. Dias bons e dias maus. Perante esta inconstância da vida somos confrontados com um Deus totalmente constante, estável, firme e inabalável. A Bíblia nos apresenta Deus como o sol do meio dia, as inabaláveis montanhas de Sião, o forte cedro do Líbano e as altas muralhas de Jerusalém. C.S. Lewis nos lembra que o Senhor não se abala, e esta é a certeza que temos de que seremos salvos. Davi é um exemplo de inscontância humana como talvez nenhum outro personagem na Palavra. Foi guerreiro implacável e na força de Deus derrotou o gigante Filisteu. Por outro lado adulterou com Bate-Seba e traiu Urias, um de seus leais soldados. Reconstruiu Jerusalém que passou a ser chamada cidade de Davi. Mas também magoou seus filhos e foi um desastre como pai. Era temente ao Senhor e foi chamado homem segundo o coração de Deus. Entretanto, em sua família houve incesto, assassinato, mentiras e traição. Talvez um dos momentos de maior melancolia e desespero tenha acontecido quando, voltando de uma batalha, exausto, encontra Ziclague, sua cidade, saqueada e destruída. E todas as mulheres e crianças levadas cativas. Seus homens, amargurados, falam em apedreja-lo. E ali se encontra Davi, caído, sem consolo e esperança. Mas algo inesperado acontece, e este é o texto que tem sido usado por Deus muitas e muitas vezes para me reanimar: “E Davi se reanimou no Senhor seu Deus”. Esta frase, encontrada no primeiro livro de Samuel, capítulo 30, verso 6, revela-nos uma das mais poderosas obras de Deus na vida de seus filhos. Levantar-nos quando tudo parece perdido. Abrir o caminho quando não sabemos para onde ir. Fazer romper o sol quando estamos presos na neblina da vida. Dar-nos perseverança quando a vontade é parar. O que mais me intriga é que este reânimo veio absolutamente do Senhor pois não havia ali elementos de esperança. Caiu destruído, levantou reanimado. A ansiedade humana é um dos aspectos mais corrosivos da alma. Conheço inúmeros irmãos e irmãs que, tomados pela ansiedade crônica, que não passa, pela insastifação constante do coração, tornaram-se secos, perderam a brandura, não gargalham. Vivem sempre a espera que amanhã seja melhor, menos triste. Que algo novo aconteça. Se olharmos para Davi naquele dia, ele estava acabado. Sem família, sem cidade, sem liderança, sem futuro. Mas a reação de Davi, mesmo que forjada por Deus, indicou uma atitude necessária para cada um de nós: Obediência. Ele se levantou! Davi se reanimou em Deus. Levantou-se e perseguiu os Amalequitas, com alguns de seus homens. Tomou de volta as mulheres e crianças, e o despojo. Reconstruiu a cidade e habitou nela. Recuperou o respeito de seus homens com o brilho de quem um dia iria reinar sobre toda Israel. E serviu a Deus. Pois se levantou quando Deus disse: levanta-te. E Deus esta dizendo a voce: Levanta-se

Especial gratidão

A gratidão é um sentimento nobre. Somente almas de superior qualidade a externalizam. Quase sempre, o bem que se recebe é esquecido, tão logo circunstâncias outras se apresentem. Mas, aquele garotinho de quatro anos era mesmo um ser especial. Quando começou a passar mal, seus pais o levaram ao médico. Os sintomas de vômito, febre e dor na barriga foram diagnosticados como gastroenterite. O diagnóstico errado conduziu o pequenino a uma cirurgia de emergência. Um apêndice perfurado causara um grande estrago interno. De tal forma que o médico optou por deixar a incisão aberta e dois drenos. Todas as manhãs, o médico vinha verificar a incisão e fazer o curativo. O garotinho gritava feito louco durante essas visitas. E começou a associar o médico com tudo de ruim que lhe estava acontecendo. Durante uma semana, os drenos deixaram escorrer o veneno de dentro do seu corpo de apenas dezoito quilos. A melhora se instalou e pai, mãe e filho se dispuseram a deixar o hospital. Já no elevador, com as portas começando a fechar, eles viram o médico correr em sua direção. Um exame de sangue de última hora havia detectado uma queda radical na contagem de glóbulos brancos. O menino retornou para a cirurgia para limpeza de novas bolsas de infecção no seu abdômen. Finalmente, depois de vários dias de tratamento, muitos sustos para os pais, que viram a sombra da morte colocar suas cores no rosto do filho, eles foram para casa. Agora, outro problema se apresentava: as contas a pagar. O pai ficara muito tempo afastado da atividade profissional, por conta da enfermidade do filho. Havia contas domésticas, da empresa e, acrescidas, ademais, por enormes contas hospitalares. A primeira dessas era de trinta e quatro mil dólares. Poderia ser um milhão, disse o pai. Tanto faz. Não tenho como levantar essa quantia. Não podemos pagar isto agora, disse ele para a esposa. Naquele exato momento, o filho veio da sala e surpreendeu o casal com uma estranha declaração. Ele ficou de pé na extremidade da mesa, colocou as mãos na cintura e falou: Papai, Jesus usou o doutor para ajudar a me consertar. Você precisa pagar a ele. Então, se virou e saiu. Marido e mulher se entreolharam. O que fora aquilo? Ambos foram pegos de surpresa, de vez que o garoto entendera que o cirurgião era a fonte de todas as apalpadelas, cortes, espetadelas, drenagens e dores. E o pai ficou a pensar como fora estranha aquela proclamação na cozinha. Afinal, quantas crianças de quatro anos analisam as angústias financeiras da família e exigem o pagamento para um credor? E, principalmente, um credor de quem ele nunca gostou particularmente...